segunda-feira, 31 de outubro de 2016

VOCÊ TEM UMA LISTA DE TRISTEZAS?


O Salmo 38 é um salmo triste. São vários versos falando de dor, abatimento, aflição, choro, abandono, fraqueza, doença, armadilhas, ameaças, falta de brilho nos olhos... muita coisa ruim, muitos sentimentos amargos. Mas os dois últimos versos mostram que Davi, no meio de tudo aquilo que não ia nada bem, sabia onde buscar ajuda. É quando ele diz: “Ó Senhor Deus, não me abandones! Não te afastes de mim, meu Deus! Ajuda-me agora, ó Senhor, meu Salvador!”.

Vem aí uma nova semana e talvez você, assim como Davi, esteja angustiado em meio a tudo isso que parece não funcionar como devia. Você sabe que algumas coisas estão acontecendo porque você foi teimoso, intransigente, cabeça dura; e você perde perdão, não aguenta mais tanta agonia. A lista de problemas é imensa! Você pode listar as tantas coisas que o fazem chorar o dia todo (v.6), pode se ver quase caindo, num sofrimento que não acaba mais (v.17), mas no final de todo esse desabafo você pode fazer a sua prece (v.21 e 22), confiando nAquele que é fiel, e já agradecendo pelo que Ele vai fazer para mudar esse cenário triste e sem cor.

 “Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.” (Filipenses 4:6)

domingo, 30 de outubro de 2016

TALENTO


TALENTO
Por Pamela Henriques Moreira

Sabe quando você vê algum filme, lê algum livro, vê certas imagens e pensa: “Como pôde alguém ter pensado nisso? Que talento!!"?

Uma vez li uma frase que me fez rir por vários minutos: “Não importa o quanto você é bom, sempre terá uma criança japonesa melhor do que você.”.

Quando aceitei o desafio de escrever para este blog, não sabia o que viria pela frente. Meu maior receio foi e ainda é o bloqueio; não ter inspiração para falar de algo tão grandioso. Como posso dar esperança a alguém se às vezes perco meu próprio chão? Por que escrever se têm Sérgios, Airtons, Joões, Carinas, Denizes, Jacksons, Eduardos, Lucileides, Lucas (acredite, já está no plural! rs) e tantos outros talentosos por aí?

Daí percebo como cada um tem seu jeito peculiar de tratar dos mesmos assuntos... São diferentes estilos, mas a mesma missão. “Então Serve” - todos os dias, um jeito diferente de falar de Deus!

O que seria do chocolate branco se todos gostassem só do preto? O que seria da pipoca doce se todos gostassem apenas da salgada? Provavelmente, não existiriam mais, não é!? Cada um com um público específico!


O que seria de uma empresa se não tivesse diferentes funções?

“E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo?” (I Coríntios 12:19).

Deus concede dons a cada um (Efésios 4:8). O Espírito Santo nos capacita com habilidades e talentos diversos para que possamos seguir na missão que nos foi dada por Ele (Mateus 28:18-20).

“Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma função, assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com zelo; o que usa de misericórdia, com alegria.” (Romanos 12:4-8).

Que sigamos na missão, sem esquecer que a cabeça é Cristo. Que façamos tudo para edificar e glorificar Aquele que deu Sua vida para nos salvar!



sábado, 29 de outubro de 2016

QUEBRANDO O MEU SILÊNCIO


QUEBRANDO O MEU SILÊNCIO
Por Jackson Valoni

Todos os convidados do meu casamento receberam um pequeno livro de presente. Meu primo Lucas havia feito o mesmo no casamento dele; achei a iniciativa muito boa e resolvi copiar a ideia.

Há aproximadamente dois meses, num sábado à tarde, distribuí esse mesmo livro pelo bairro de Parque Mambucaba, onde fica localizada a minha igreja. A distribuição do livro aconteceu durante uma simpática passeata que promovemos, chamada "Quebrando o Silêncio", com o objetivo de alertar o bairro sobre os malefícios físicos e sociais provocados pelo álcool.


Junto com o livro, entregamos um informativo com algumas estatísticas tristes sobre a bebida. Não chegamos a parar o bairro, não levamos caixas de som, também não bloqueamos as ruas. Levamos cartazes e faixas, cantamos, distribuímos muito sorriso, e no fim da nossa singela manifestação, realizamos um culto a céu aberto onde pude tocar meu contrabaixo.


Naquele mesmo sábado, pela manhã, um amigo havia me dito que fica preocupado por não saber como ser útil para a causa de Deus.

"Às vezes parece difícil entender que o cristão é exemplo mesmo sem o querer... Faze com que mesmo sem palavras eu fale do Teu amor! Senhor, eu quero brilhar por Ti, brilhar onde quer que for."


Conquiste o coração das pessoas. Mostre o que Deus faz em sua vida. Que nossa vida esteja à frente de nossas palavras.

Que minha adoração não seja exclusivista. Meu Deus quer alcançar o coração de todos, através de nós, eu e você.

"Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós." I Coríntios 3:9

 Saiba mais sobre o projeto “Quebrando o Silêncio” - http://quebrandoosilencio.org/

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

KD VC?


KD VC?
Por Denize Vicente

Fevereiro de 2009. Escrevi este texto que você vai ler agora num dia como o de hoje, quando eu pensava a respeito desse jeito moderno de conversar com os amigos – meio apressado e mediado pela internet. Como o texto é de 2009 e a modernidade já avançou mais um tantão, em sete anos, decidir publicá-lo aqui no blog com algumas adaptações, ou seja, vou incluir o Messenger do Facebook e o WhatsApp, porque os tempos estão cada vez mais modernos. Mas repare que algumas coisas não mudam - quando deveriam.  Vamos lá:

Lembro muito bem quando o MSN começou a se tornar popular. Uma febre, praticamente.

Mal você aparecia e já chovia gente querendo conversar.

Assim que entrava, a vontade era logo procurar quem estava "on line" pra começar a bater papo. Logo havia cinco, sete janelas abertas. E o papo rolando solto. Bem... não tão solto. Um pouco preso.




Eu sempre fui bastante rápida, na digitação, graças aos divertidos anos em que fui secretária de audiências, no Tribunal; então costumava escrever rapidamente para todas as pessoas com quem eu conversava; tudo ao mesmo tempo. Mas era chato. As pessoas não tinham a mesma rapidez, e enquanto eu escrevia um parágrafo inteiro, contando uma história qualquer ou colocando os assuntos em dia, a resposta demorava longos e irritantes minutos, para chegar. É que além de não ter a mesma agilidade no teclado as pessoas também estavam com mil janelas abertas, conversando com tantas outras gentes, e era preciso esperar que elas pudessem voltar pra falar comigo.

Às vezes era engraçado, quando trocavam as conversas. Mandavam pra mim o que era pra outro, tamanha a confusão de tanta conversação paralela; esqueciam minha janela, porque havia outra piscando com mais frequência, fazendo surgir um "kd vc?" ou coisas do gênero...

De vez em quando era preciso tocar um aviso de atenção, pra se lembrarem de mim, e geralmente voltavam sem nem saber do que estávamos falando. Afinal, o que contava era falar com um sem-número de pessoas ao mesmo tempo, e não, propriamente, conversar alguma coisa que fizesse sentido.

Agora mesmo eu estava pensando nisso... Imaginei que um papo com Deus deve ser meio semelhante a um papo no MSN, ou no GoogleTalk, no Messenger do Facebook, no WhatsApp. Ele ali, com milhões de janelas abertas, com agilidade o bastante para conversar com uma porção de gente simultaneamente, e essa gente toda, que também se aventura a conversar com tantas outras ao mesmo tempo, se enrolando pra manter o papo, fazendo Deus esperar... Vão seguindo, trocando o destinatário da conversa, começando novos bate-papos, esquecendo a janelinha em que conversavam com Deus, digitando apenas um "eh...", um “ahahaha!!!”, mandando uns "emoticons", e pronto. Deus chama, de vez em quando, a janelinha pisca e então é que se volta, sem nenhuma lembrança do ponto em que havíamos parado a conversa...

Eu ficava chateada, às vezes. Achava que não estavam me dando atenção. Perguntava a mim mesma: "Pra que me chamou se tá falando com uma porção de gente ao mesmo tempo e não consegue prestar atenção no papo?" Eu achava que tinha a ver comigo. Será que o papo ‘tava sem graça? Não. Não era isso... Eram sempre coisas interessantes, mas havia outros papos interessantes também rolando ao mesmo tempo. A atenção era facilmente desviada. Igualzinho como quando a gente conversa com Deus... Esquece que é preciso concentração. É preciso prestar atenção no que se está falando.

Apesar disso, e ainda assim, Ele continua "on line"; chama a atenção da gente, de vez em quando, mas continua lá. E não se aborrece. Não se irrita. É paciente. Extremamente tranquilo. Mesmo quando a gente apaga a luz e vai dormir, sem sequer dizer "Boa noite, Deus."...



A propósito, vocês já se falaram hoje?

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

VOLTEI


VOLTEI
Por Carina Baptista - Texas, USA

Oi pessoal, tudo bem?!

Eu estava com saudade de escrever e tenho tanta coisa pra contar que nem sei por onde começar! Vou contar aos poucos e vou contar tudo. Eu tenho muitas novidades.

Bem, pra quem ainda não sabe (porque não leu a nossa coluna em 29 de setembro), eu estou no Texas. Comecei meu Intercâmbio no último dia 26. Nem acredito!

Estou escrevendo este texto sentada na poltrona superconfortável do “Starbucks”, olhando pela janela, tomando um treco gelado sem café que a menina simpática me indicou. 

Lá fora está quente, mas tem um ventinho fresco; parte do céu está cheia de nuvens e a outra parte está azul (no entanto, a qualquer momento isso pode mudar).


To aqui pensando (uau!! estou mesmo aqui!)... pensando um pouco sobre minha trajetória e me lembrando de todo mundo que fez parte desta história. Eu me lembro das vezes em que quase desisti, das pessoas que disseram: "Ei, não desiste não!". Eu me lembro, principalmente, do cuidado e do amor de Deus!


Sempre entreguei meus planos do Intercâmbio nas mãos de Deus, e por isso tenho certeza de que tudo deu certo; e "dar certo" não significa que eu não terei nenhum "bad day", que será tudo fácil - "a piece of cake", como eu aprendi. Não! Estou certa de que cada luta, cada provação, cada problema será o meu processo de purificação, como o mineral bruto precisa passar para virar ouro ou diamante.

Estou feliz por estar aqui e por isso sinto o desejo de compartilhar com vocês um pouco mais de tudo o que me aconteceu. Talvez a minha história sirva para animar alguém desanimado ou dar esperança a quem acha que está sozinho. Você não está!

A primeira coisa que eu gostaria de deixar registrada aqui: você precisa sair da sua zona de conforto se você realmente deseja algo diferente na sua vida.

Eu tinha medo de "sair". Deixar minha família, meus amigos, minha igreja... Eu sempre fui a que ficava: fiquei na escola quando meus amigos trocaram de colégio (depois isso mudou); fiquei na mesma igreja, do mesmo bairro, sempre; fiquei no Clube de Desbravadores quando todos os meus amigos saíram... Eu fiquei. Eu sempre ficava. O bom é que não eram coisas ruins! rs. Mas uma hora eu tive vontade de fazer algo diferente. O Intercâmbio saiu do campo das "coisas que eu quero fazer um dia" para o das "coisas que eu vou fazer este ano". E assim eu comecei a correr atrás de toda burocracia, o que significa: dinheiro + documentos + dinheiro.

Entreguei cada etapa do processo nas mãos de Deus e fui bem clara quando disse a Ele: "Se não for da Sua vontade... que não dê certo.". E aqui estou! Escrevendo pra vocês do outro lado do continente. Muitas coisas não aconteceram do meu jeito, ouvi vários "não", e ouvi muitos "sim"; mas não há nada melhor do que ouvir o SIM de Deus.

Estou feliz, certa de que tenho um grande Amigo em quem posso confiar e Ele me presenteou com vários outros amigos. Mas isso é ooooutra história.


Um beijo e até semana que vem.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

MEUS ORGULHOSOS FRACASSOS


MEUS ORGULHOSOS FRACASSOS
Por João Octávio Barbosa

Darcy Ribeiro faria hoje 94 anos. Falecido em 1997, ele foi um antropólogo, escritor e político brasileiro, conhecido por seu foco em relação aos índios e à educação no país. Suas ideias de identidade latino-americana influenciaram vários estudiosos latino-americanos posteriores. Como Ministro da Educação do Brasil realizou profundas reformas que o levaram a ser convidado a participar de projetos universitários no Chile, Peru, Venezuela, México e Uruguai, depois de deixar o Brasil devido ao golpe militar de 1964. [1]


Certa vez, me deparei com uma declaração de Darcy Ribeiro que achei muito legal. Era esta: “Fracassei em tudo o que tentei na vida. Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui. Tentei salvar os índios, não consegui. Tentei fazer uma universidade séria e fracassei. Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei. Mas os fracassos são minhas vitórias. Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu.”.

Eu abraço muitas causas e estou, constantemente, sentindo o gosto do fracasso. Mas, realmente, teria sido pior nem ter tentado. Fracassos, na Bíblia, me remetem a Jó. Para quem não conhece a história, ele era o homem mais feliz do mundo, por muitas riquezas e uma família grande e feliz. De repente, ele é atacado por Satanás, e perde tudo de uma vez: todos os seus bens, morrem todos os seus filhos, e por fim ainda fica doente.


Hoje, porém, o foco da coluna não são os fracassos de Jó, mas a conduta de sua mulher, o nosso Perfil Sem Curtidas desta semana. Sua única citação direta, na Bíblia, é em Jó 2:9-10; uma leitura de 10 segundos - que, diga-se de passagem, não conta a favor dela.

Quando seu marido tinha tudo, a mulher de Jó (anônima, na Bíblia) não parecia ter motivos para querer que o nome de Deus fosse amaldiçoado. Jó era muito temente a Deus, e pedia perdão até por pecados que ele nem sabia se haviam sido cometidos! Mesmo assim, quando o sofrimento veio, ele veio pesado demais, e muito de repente. Poderia você manter a paz de espírito num momento assim?


A mulher de Jó deveria ter medido melhor as suas palavras, é claro, porque blasfemou. Mas ao longo de todo o livro há uma longa discussão sobre a relação entre o homem e Deus e todos falaram alguma besteira em alguma hora. A mulher de Jó falou no calor do momento. É fácil julgá-la sem se colocar no lugar dela.

Se você é cristão, será que jamais questionou a Deus por muito menos do que aquilo que aquela senhora estava passando? Jó estava bem calcificado, espiritualmente. Embora ele ainda se achasse injustiçado, não iria abandonar a crença no poder de Deus naquela hora, mesmo ela sendo tão difícil. Ele declara: “Mulher, não fale besteira! Se Deus me mandou tanto bem por tanto tempo, porque virar as costas para Ele agora que nos veio algum mal?” (nas minhas palavras).


A verdade é que todo ser humano tem inclinação para o mal, e é doente de pecado. Todo o bem que recebemos é imerecido, e presente de Deus. O mal que chega é nosso pagamento devido. Podemos chiar, podemos culpar Deus, podemos largar a igreja e tudo mais. Mas isso é ignorar os fatos que a Bíblia declara.

Mas a parte interessante da história da mulher de Jó para mim é a que fica subentendida no final, e, talvez, mesmo quem conhece o relato todo, não tenha se atentado a esse detalhe. No fim do livro, O Senhor se apresenta a Jó, que se arrepende de ter pensado mal dEle. Deus abençoa Jó, que recupera a saúde, tudo que tinha antes, materialmente falando, e tem novos filhos, na mesma quantidade dos que morreram.

Tudo novo, certo? Não! A esposa ainda é a “velha”! Afinal, o texto dá alguns detalhes da nova vida de Jó, mas em nenhum momento ele cita uma nova mulher para Jó. 

Ou seja, aquela frase de inspiração demoníaca realmente representa a mulher de Jó? Ou foi só um momento de loucura? Afinal, se a mulher tinha um marido falido, doente, com todos os filhos mortos, por que ela não foi embora?


Não, ela ficou ao lado do marido. Recebeu as bênçãos de Deus junto do marido. Teve o seu coração perdoado junto do marido. E viveu por muitos anos mais, junto do marido.

A mulher de Jó vai ficar para sempre marcada como vilã da história. Quantas pessoas de bom caráter vão ser sempre rotuladas pela pior coisa que fizeram em sua vida? Fulano vai ser sempre o mentiroso porque mentiu uma vez para você. Beltrano vai ser sempre o ladrão, porque roubou a padaria daquela vez. Sicrano vai ser sempre o adúltero porque traiu a mulher uma vez.

Deus não rotula. Porque ele quer salvar. Dos fracassos, pode sair a força das vitórias.

“Desejaria eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? diz o Senhor DEUS; não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva?”

        
Não peço que concordem, espero que reflitam!

________________________

Referência:


terça-feira, 25 de outubro de 2016

COMO FOI QUE PAREI DE FUMAR EM 4 DIAS – 4º dia


A melhor maneira de limpar o organismo é fazendo, de vez em quando, um jejum. Organismo desintoxicado tende a ser mais resistente a um cigarro.

Quando acordei no quarto dia, estava chovendo muito, e como eu tinha decidido parar de comprar cigarros, fiquei com preguiça de ir na chuva até a casa da minha irmã pra pedir um cigarrinho. Escovei os dentes, fiz o gargarejo. Não fumei a manhã inteira. Foi tenso. Eu precisava de um cigarro de qualquer jeito, mas eu podia evitar, eu tinha que evitar. A mensagem veio à minha mente: “Decidi parar de fumar”... “decidi parar de fumar”... Decidi, então, ficar em jejum para limpar o organismo e tentar manter a calma.

Lembrei-me da dica da doutora Michele: “Não se irrite. Evite atropelos. Fuja do café, do cigarro e mantenha-se firme. Hoje é dia de vitória. Vá em frente.”.


COMO FOI QUE PAREI DE FUMAR EM 4 DIAS - 4º dia
Por Airton Sousa

Ao todo, são 5.315 substâncias (cerca de 4,7 mil nocivas) na fumaça do cigarro. O número pode chegar a 8.622 se também forem considerados os compostos presentes na folha do tabaco e os aditivos industriais.

FUMANTE PASSIVO 


O tabagismo passivo é uma inegável causa de doenças e morte. Ser fumante passivo significa inalar fumaça de cigarros (ou outros produtos derivados do tabaco) por pessoas que não fumam. Essa fumaça se difunde no ambiente e faz com que as pessoas ao redor inalem a mesma quantidade de poluentes que os fumantes. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo passivo é a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, perdendo apenas para o tabagismo ativo e para o consumo excessivo de álcool.

Estudos comprovam que os efeitos imediatos da poluição ambiental pela fumaça do tabaco não são apenas de curto prazo, como irritação nasal e nos olhos, dor de cabeça, irritação na garganta, vertigem, náusea, tosse e problemas respiratórios. Essa exposição também está relacionada ao aumento do risco de câncer de pulmão, de infarto, e de várias outras doenças graves, penosas e fatais relacionadas ao tabagismo.

Por isso, a regulamentação da Lei Antifumo é um grande avanço para o Brasil, uma vez que ela também protegerá a saúde do fumante passivo ao estabelecer ambientes 100% livres de tabaco. Com as novas regras, fica proibido fumar em ambientes coletivos fechados de todo o país, inclusive naqueles que são apenas parcialmente fechados por teto, toldo ou parede, por exemplo. Também ficam extintos os fumódromos e a publicidade passa ser ainda mais restrita.


"O fumante passivo corre tantos riscos quanto o dependente em tabaco. Muitas vezes até mais do que o próprio fumante", afirma o Pneumologista Sergio Ricardo Santos, presidente da Comissão de Tabagismo da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).

"Não importa quem acendeu o cigarro, o que interessa é quem inalou a fumaça."

Se você é fumante, veja os riscos que as pessoas à sua volta sofrem por causa disso. “E, caso não fume, fique atento à qualidade do ar que você inala”.


Atualmente, cerca de um bilhão de pessoas em todo o planeta são fumantes. Estima-se que nas próximas duas décadas esse número se elevará para 1.6 bilhão, com grande contribuição dos países mais pobres, onde o consumo de tabaco tem aumentado e já representa a maior fonte de lucros da indústria tabagista.

Tamanho consumo faz com que o cigarro seja atualmente a principal causa de morte prevenível em todo mundo. Uma em cada dez mortes de adultos está relacionada ao tabaco. Isto significa seis milhões de óbitos por ano, 14 mil mortes por dia ou uma morte a cada 6 segundos por doenças causadas pelo fumo.

Para se ter uma ideia da tragédia que é o cigarro, em todo o mundo morrem mais pessoas de doenças relacionadas ao tabagismo do que de AIDS, álcool, drogas ilegais, assassinatos, suicídios e acidentes automobilísticos juntos.

O cigarro é diretamente responsável por:
·                   9 em cada 10 mortes por câncer de pulmão.
·                   3 em cada 10 mortes por qualquer tipo de câncer.
·                   3 em cada 10 mortes por doenças cardiovasculares.
·                   8 em cada 10 casos de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), como o enfisema pulmonar ou a bronquite crônica.
·                   1 em cada 2 mortes de fumantes.

Sabe o que eu acho? Que hoje é um grande dia. Estou a um passo da vitória. Até o momento nenhum cigarro. Hoje foi um dia de lutas, foi tenso.

Daqui a pouco, a última noite do curso. Dá um tremendo prazer ser dono da própria vontade. Eu sou mais forte do que o vício!

Fiquei triste, pois as pessoas que começaram comigo no primeiro dia desistiram pelo caminho. Cada um com uma desculpa, de um grupo de dez pessoas só eu afirmei ao final da reunião: Não vou mais fumar!

Eu parei de fumar no dia 28 de março de 2016 e quando você estiver lendo este texto, em dois dias estarei completando 180 dias sem cigarro.

Eu parei e você também pode parar. Fale comigo. Eu ficarei muito feliz em poder ajudar você.

Fumar só me trouxe dentes amarelos, pele enrugada, incapacidade física e uma vida mais curta.

Comece por decidir parar; depois você vai trabalhando sua decisão, dia a dia, um dia de cada vez, cada dia, até o último dia.
O que você vai ganhar com isso?
A vida!

Série completa:
DIA 1 - CLIQUE AQUI
DIA 2 - CLIQUE AQUI
DIA 3 - CLIQUE AQUI
DIA 4 - CLIQUE AQUI
___________________

Referências:

Fumante passivo: não fuma, mas corre os mesmos riscos dos fumantes ativos – disponível em:

Doenças do cigarro – como parar de fumar – disponível em:

Quais são as “mais de 4,7 mil substâncias tóxicas” no cigarro? - disponível em:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...