segunda-feira, 31 de julho de 2017

DE ONDE MENOS SE ESPERA


DE ONDE MENOS SE ESPERA
Cecília E. Nascimento

O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
(Mateus 25:40 - Versão Almeida Revista Atualizada)

Jason McElwain, apelidado de “J-Mac”, foi diagnosticado com autismo aos dois anos de idade. No início, tinha bastante dificuldade de interagir com outras crianças, mas, com o tempo, começou a desenvolver habilidades sociais. Desde menino, gostava de basquete. Quando estava no ensino médio, Jim Johnson, o técnico do time de sua escola, deixava que ele ficasse no banco de reservas acompanhando as partidas.

Na última partida da temporada de 2006, quando Jason estava com 18 anos, o técnico lhe entregou um uniforme e disse que o deixaria entrar se, no final do jogo, o time estivesse ganhando com folga. Faltavam quatro minutos para o fim da partida e a equipe liderava por mais de dois dígitos. Era a vez de J-Mac.

Os colegas, simpáticos e solidários a ele, passaram-lhe a bola. Errou a cesta. Deram-lhe uma nova chance. Errou de novo. Até aí, nada demais. Era o esperado. Mas ninguém estava preparado para o que viria a seguir: Jason acertou seis arremessos de três pontos e um de dois pontos seguidamente. Foram vinte pontos em menos de quatro minutos. A torcida foi à loucura, aplaudindo-o mais e mais. Seu feito foi eternizado ao receber o prêmio ESPY, do canal ESPN, de melhor momento do esporte em 2006. Superou inclusive os 81 pontos que Kobe Bryant marcou em uma só partida naquele ano. Jason recebeu os cumprimentos do presidente dos Estados Unidos. Atualmente, ele faz palestras motivacionais e ajuda a angariar fundos para pesquisas sobre o autismo.

Temos a tendência de julgar as pessoas. Classificá-las por aquilo que parecem ser capazes de fazer ou não. Colocamos no banco de espera de nossa vida os diferentes e os que parecem mais debilitados. Buscamos amizades com os populares, bonitos e inteligentes. Ao agirmos assim, perdermos a oportunidade de ver talentos incríveis desabrochando.

Além disso, Jesus foi bem claro: quando estendemos a mão amiga e de misericórdia para os pequeninos aos olhos deste mundo, estamos fazendo o bem ao Senhor. É assim que ele considerará no grande dia do juízo.

Abra a mente. Deixe de lado os preconceitos. Olhe ao redor, procure alguém que esteja de escanteio e chame essa pessoa para entrar em campo. Você vai se surpreender.


(De Olho no Prêmio - Cecília E. Nascimento – CPB, 2016)

domingo, 30 de julho de 2017

VOCÊ É ESPECIAL?


VOCÊ É ESPECIAL?
Pamela Henriques Moreira – Angra dos Reis/RJ

Você é o tipo de pessoa que se acha o máximo, mediano, ou uma daquelas pessoas que se joga lá para baixo?

Lembro-me de quando era novinha e fazia curso de Inglês. Sempre fui muito tímida, era do estilo bicho do mato. Em uma determinada aula, a professora fez uma pergunta oral bem simples para exercitar respostas rápidas.  A pergunta que ela me fez foi a seguinte: “Are you beautiful?” (Você é bonita?).


Sabe, naquela aula eu demorei a responder a tal pergunta... Não que eu tivesse dúvida, mas talvez porque não quisesse parecer pretensiosa. Só lembro que respondi que não era; mesmo sem me sentir feia, foi a resposta que eu dei.

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda.” Provérbios 16:18

Há quem seja pedante, orgulhoso, o “metidinho”. Mas há aqueles que se colocam como as pessoas mais miseráveis, não merecedoras de amor, carinho, elogios. Às vezes conseguimos duvidar de nosso potencial porque em algum momento alguém deu a entender que somos inferiores.

Quando você recebe uma crítica, quando alguém o exclui, quando um relacionamento seu não dá certo, você se sente a pior pessoa do mundo e crê fielmente que você é o real problema?


“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados filhos de Deus, o que de fato somos!” I João 3:1

Fomos criados por Deus (Efésios 2:10) e Ele nos ama; somos tão valorosos para Ele que Jesus morreu na cruz por nós  (João 3:16).

Você é especial para Deus, mesmo que façam parecer o contrário. Valorize-se!


sábado, 29 de julho de 2017

TODOS POR UM


TODOS POR UM
Por Jackson Valoni - Angra dos Reis - RJ


Pergunte a uma criança o que ela gostaria de ser quando crescer e, com sua inocente certeza, dirá algo sobre o que lhe causa admiração, sem se preocupar em como alcançará essa meta. Eu já quis ser cientista, astronauta, desenvolvedor de "joguinhos de video game" (nessas palavras), ator... a mente voa.

O que nos leva a ser o que somos? O que nos influencia a querer o que queremos? Não precisamos meditar tanto pra perceber o quanto somos modelados. A criança, ao nascer, dizia o filósofo inglês John Locke, é uma tábula rasa (folha de papel em branco). Emile Durkhein, grande sociólogo do século XIX, indica que o ambiente em que vivemos tem o poder de compor nosso modo de enxergar a vida - repare no choque entre culturas quando conhecemos outras pessoas que vivem fora do nosso país ou aqui mesmo no Brasil, em outro estado. O meio em que crescemos, para Durkhein, possui uma força discreta capaz de padronizar certos valores morais e maneiras de agir chamada de Fato Social. Max Weber, um dos fundadores da Sociologia junto com Durkhein, em seu livro Economia e Sociedade chegou a escrever sobre a influência das crenças religiosas nas pessoas.

Pensar na minha vida alguns anos à frente pode ser desafiador quando imagino que não dependerei só de mim para alcançar meus objetivos. Quando eu fiz o teste vocacional, aos 16 anos, mal tinha ideia do que deveria fazer para alcançar o reconhecimento profissional em uma daquelas propostas de carreira, muito menos saberia uma criança que está no início de sua vidinha.

Como homem, aqui na Terra, Jesus começou seu ministério, oficialmente, aos trinta anos de idade (Lucas 3:23) e contou com a ajuda inicial de outras doze pessoas escolhidas “a dedo”. Até depois de ascender ao Céu (Atos 1:6-11), seus discípulos e muitos outros, convertidos posteriormente, continuaram aquela sublime tarefa de fazer ainda mais discípulos em todas as nações. (Mateus 28:19,20).

Weber dizia que “o indivíduo é uma simples engrenagem num mecanismo em movimento”. Basta imaginar a linha de produção de uma indústria; o caminho que o petróleo faz, desde sua forma bruta, até o tanque de combustível do automóvel; a colheita do trigo até o pão ficar estocado nos supermercados em variados sabores e composições; o uso de transporte coletivo que nos serve de ponte para outros lugares; a hierarquia e as diferentes funções que existem na igreja... Somos dependentes, não importa o quão capacitado você seja. Precisamos um do outro. 

O corpo humano precisa da saúde plena de todos os membros que o constitui para garantir o bom funcionamento do sistema vital. Fazemos parte do corpo de Cristo, onde Ele é a cabeça (Colossenses 1:18) e nós os membros que formam esse corpo (I Coríntios 12:27). Quando desanimamos nessa missão podemos atingir outras pessoas também, como uma dor de dente que consegue cambalear qualquer um por completo, ou uma topada que afeta a postura do corpo inteiro. Entretanto, quando percebemos que Deus está além das paredes da igreja e que não precisamos ter vergonha de conversar sobre Jesus, atingiremos outras pessoas com esse estilo de vida, pois se vivemos por Ele então estamos com Ele e, se Deus está conosco, quem estaria contra? (Romanos 8:31). Cristo por nós e nós por Cristo! D’Artagnan aprova essa ideia!


Pois a força está na união
Na soma do melhor de cada um
O segredo está na união
Nos tornamos fortes quando damos as mãos.

____________________________


Referências:

·        SONETE. Vou testemunhar. Unidos em Cristo, Novo Tempo, 2004. CD.


·       O LIVRO DA POLÍTICA, página 215, 1º edição, São Paulo, Globo Livros, 2013

sexta-feira, 28 de julho de 2017

VOAR, CORRER E ANDAR


VOAR, CORRER E ANDAR
Denize Vicente – Cidade Maravilhosa-RJ

Eu teria muitas histórias pra contar do que me aconteceu desde o último dia 14 de julho, mas o espaço, nesta coluna, não seria suficiente. Posso resumir dando alguns conselhos a vocês, e o primeiro deles seria: uma infecção, no seu organismo, pode levar você da prostração à morte, em pouco tempo, se você não se cuidar. Outro: quando você estiver cansado, no auge das suas preocupações, exausto mesmo, a melhor opção é voar, correr e andar.

Nas últimas noites eu vivi a experiência de dormir pouco, bem pouco, e passei as vinte e quatro horas de cada um dos últimos dias de olho numa tela, monitorando os sinais vitais da minha mãe.


Algumas vezes, nas últimas semanas, atrasei a publicação das postagens neste blog e o texto dos meus caros amigos, colunistas do #entãoserve, terminaram entrando doze, dezessete horas depois do horário padrão. Eu não conseguia tempo... e estava cansada.

Mas há um texto da Bíblia que me conforta e anima:

“Até os jovens se cansam
e ficam exaustos,
e os moços tropeçam e caem;
mas aqueles que esperam no Senhor
renovam as suas forças.
Voam alto como águias;
correm e não ficam exaustos,
andam e não se cansam.” (Isaías 40:30-31)

Minha mãe já está em casa, de volta. Está recuperando as suas forças. E eu também.

“Aos cansados ele dá novas forças e enche de energia os fracos.“ (Isaías 40:29)

Talvez você esteja, como nós, exausto. Talvez precise, como eu, de uma semana dormindo até as dez e voltando pra cama depois do almoço, para a sesta. E então eu lhe dedico os versos de Isaías, para que você não se esqueça de que Deus, no meio de qualquer vendaval, de qualquer tempestade, e depois de qualquer furacão, pode nos dar novas forças e nos encher de energia. Eu conto com Ele. Pra voar, correr e andar. Experimente também.



quinta-feira, 27 de julho de 2017

HOJE É HOJE; AMANHÃ É AMANHÃ.

Pode ser que hoje você esteja cheio de dúvidas e preocupações, por coisas que talvez aconteçam nos próximos dias.
Mas não deveria... 



Adote esse estilo de vida. Comece agora. E viva bem!

quarta-feira, 26 de julho de 2017

LINHA DIRETA

LINHA DIRETA
João Octávio Barbosa – Bento Ribeiro City - RJ


Hoje vamos lembrar um famoso programa da TV Globo que saiu do ar há 10 anos. “Linha Direta” estreou em 1999 e por 8 temporadas ocupou as noites de quinta-feira trazendo histórias de crimes às salas do brasileiros. Até 2001 foi apresentado por Marcelo Rezende e, a partir de então, por Domingos Meirelles.

A temática do show era mostrar simulações de crimes cometidos no Brasil, e o título se devia à grande utilidade pública de permitir que denúncias fossem feitas diretamente ao staff do programa se qualquer pessoa soubesse o paradeiro dos criminosos das histórias contadas.


De acordo com o site Wikipédia, calcula-se que mais de 400 ex-foragidos tiveram que responder à justiça brasileira depois de terem suas acusações apresentadas no programa. Houve severa crítica de diversos setores da sociedade quando a Globo decidiu encerrar o Linha Direta. Até hoje existe a cogitação da volta do show, que contribuiu para a prisão de muitos bandidos; mas não há nada oficial.

Particularmente, a linguagem formal, séria, quase ou explicitamente assustadora do programa chegava a me causar medo, às vezes. De fato, esse era o objetivo da via dramatúrgica do Linha Direta. Alguns casos clássicos apresentados foram: O Bandido da Luz Vermelha, O Crime da Mala, A Bomba no Riocentro, Vladmir Herzog, Bateu Mouche e outros.


Agora, mudando um pouco de assunto, linha direta sempre me fez lembrar de Deus... Verdade! Sabe por quê? Porque “linha direta” sempre foi a forma como me ensinaram a chamar a hora de falar com Deus. A oração, ou reza, como alguns chamam. Eu uso mais “oração” que “reza”, porque essa última traz a ideia de repetição constante, às vezes sem parar, tipo Ave Maria. Jesus não condenou isso totalmente, mas nos orientou a buscar a Deus com uma conversa, de preferência, mais real, franca, livre. Veja:

E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.
Mateus 6:7

SPOILER FINAL. O programa Linha Direta tinha compromisso com a verdade, e conseguiu pôr atrás das grades muitos “foras da lei” por meio da comunicação direta telespectador-emissora, com as denúncias.

Temos nós o mesmo acesso a um Deus superpoderoso! Diferente de muitas entidades vistas como deus, em outras crenças, o Senhor da Bíblia não pede que só cheguemos a Ele com sacrifícios, sangue inocente, oferendas de comida, ou algo do tipo. Ele aceita qualquer um que queira apenas conversar.



Não desperdice essa oportunidade! Vamos falar com Ele agora?
Senhor Deus, obrigado por me aceitar para conversar mesmo sendo um Deus tão alto e eu sendo uma pessoa tão insignificante. Que o Senhor me perdoe os pecados, e me abençoe no que for possível, e me ajude a estar sempre com o Senhor. Obrigado por essa linha direta. E tudo em nome de Jesus. Amém.

Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á.
E qual dentre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra? E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?
Mateus 7:7-11

Não peço que concordem, espero que reflitam!

terça-feira, 25 de julho de 2017

CRENÇAS - 16


CRENÇAS - 16
Airton Sousa – Direto de Florianópolis Paciência

Exatamente quando escrevia o texto de hoje, recebi um comentário de que meus textos estavam sérios demais, que eu deveria voltar a escrever daquele jeito descolado de sempre, e que eu não deveria encarar isto como uma crítica e, sim, como uma sugestão.

Opa, já tenho como começar o texto de hoje, que trata da 16ª crença.

Como você recebe uma crítica? Quando dizem que você está gordo demais e precisa emagrecer e você fica vermelho de vergonha com o comentário que é para o seu próprio bem... Quando os professores da escola ou da faculdade ignoram seus esforços para apresentar um bom trabalho... Quando sua namorada termina com você... Quando seu marido a abandona ou troca você por outra... Quando seu chefe o demite inexplicavelmente... Quando somos traídos por nossos amigos... E quando a tragédia chega à sua família, causada por outros?

Tudo isso magoa, mesmo quando as pessoas não agem deliberadamente.

Uma vez, um amigo me procurou para contar sobre uma conversa séria que teve com um desafeto, e me disse: “Acabei com ele. Coloquei ele no chão, acabei com ele.”.

Dizem que a vingança é um prato que se come frio. Estava pensando sobre isso, outro dia, e pensei: Que coisa mais sem propósito! Que graça tem um prato frio?

Mas Jesus tem uma ideia melhor.

Uma noite antes de Ele morrer, reuniu seus doze seguidores em um lugar no cenáculo para a Páscoa dos judeus (Pessach). “Ele levantou-se da mesa, tirou sua capa e colocou uma toalha em volta da cintura. Depois disso, derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos seus discípulos, enxugando-os com a toalha que estava em sua cintura.” (João 13:4,5).

Eu não sou fã de pés. Pés são malcheirosos, são feios... Jesus ajoelhou-se e começou a limpar a sujeira dos pés deles.

E Judas, o traidor, Jesus não vai lavar os pés dele, vai?

Jesus lavou!



Ele lavou primeiro; agora Ele diz: pegue a sua toalha e lave os pés daqueles que magoaram você. E você, que já está com os pés molhados, lava os pés do seu semelhante. Como se você fosse um servo e não um patrão. Isso é a essência do evangelho. Isso é graça, e onde há graça há perdão. Isso é melhor do que um prato frio, sem graça. A graça sabe que existe a mágoa, mas ela escolhe o perdão e não deixa envenenar seu coração.
 


Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu aos Seus discípulos, dizendo: "Tomem e comam; isto é o meu corpo". Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: "Bebam dele todos vocês. Isto é o meu sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados.”. (Mateus 26:26-28)


A santa ceia do Senhor é uma das crenças fundamentais da igreja Adventista, da qual faço parte. A cerimônia do lava pés e distribuição do pão e vinho são os emblemas que nos lembram do sacrifício de Jesus Cristo por nós.

Eu me emociono cada vez que participo dessa cerimônia. Embora esteja muitas vezes afogado em um monte de problemas, no meio dos meus erros e enganos, eu flutuo no perdão e na graça de Jesus cada vez que tomo parte com Ele dessa santa ceia e me lembro do dia que Ele estendeu Seu braço, tocou-me e organizou toda a bagunça que havia dentro de mim.

Eu sou feliz por participar disso.

Quem disse que não pode acontecer o mesmo com você?

Então, venha comigo! Você tem um lugar à mesa.



domingo, 23 de julho de 2017

ASSOBIAR E CHUPAR CANA! PODE ISSO?


ASSOBIAR E CHUPAR CANA! PODE ISSO?
Pamela Henriques Moreira – Angra dos Reis/RJ

Há coisas na vida que são difíceis de conciliar; algumas são impossíveis. Na semana passada, escrevi sobre a possibilidade de fazer duas coisas ao mesmo tempo quando parece ser impossível, complicado ou difícil. (Clique AQUI).

Há exemplos clássicos, quando comparamos espiritualidade com classe econômica - pessoas que são pobres, mesmo sendo ricas ou ricas sendo pobres. Podemos ver possibilidades na contrariedade.

Já ao apresentar opiniões diferentes, provavelmente temos dificuldade quando queremos agradar um grupo com gostos e pensamentos diversos. Nem sempre conseguimos “casar” opinião com satisfação.

Já tentou chupar cana e assobiar ao mesmo tempo? Desculpa àqueles que conseguem, mas vejo como uma tarefa impossível.


“Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro...” Mateus 6:24

Quando penso nisso, vejo a simplicidade de um Deus que se preocupa e que nos orienta a não perdermos o foco: o Céu!

Não temos que nos preocupar com nada se entregamos nossa vida a Ele, se temos a certeza de que Deus suprirá nossas necessidades triviais.

“Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” Mateus 6:34

Quando Deus nos pede para não termos outros deuses (Êxodo 20), é a mensagem mais clara de que devemos nos entregar a Ele, somente a Ele. Não precisamos buscar nada nem ninguém para ter o que é necessário para nosso viver. Obedecendo a esse mandamento simples, não dividindo o trono de Deus com nossas próprias vontades, podemos ter, sim, e iremos encontrar uma felicidade plena.

Não quebremos a cabeça, não fiquemos aflitos. Tenhamos um Deus, Aquele que carregou a nossa cruz.

Deixe Deus (somente Ele) ser o deus da sua vida. Como diz uma música que gosto muito: “faz sentido servir Alguém melhor que eu”.



sábado, 22 de julho de 2017

IMPACTO PROFUNDO


IMPACTO PROFUNDO
Jackson Valoni - Angra dos Reis/RJ

No final de maio, exatamente num sábado, subi um morro aproximadamente às 10h30. A ideia era chamar todos os moradores daquela parte do bairro do Frade, em Angra dos Reis.

Eu estava junto com outros amigos bastante dispostos a fazer aquilo. O objetivo não se limitava a chamar os moradores de casa em casa; incluía entregar um presente pra eles. Distribuímos aproximadamente 200 livros só naquele pedaço do bairro, naquele pedaço do morro. Antes que eu me esqueça, o livro que distribuímos tem como título "Em busca da Esperança".

Em determinado ponto daquela missão, passamos em frente a um local que me pareceu pouco atraente para realizar aquele trabalho missionário. Uma espécie de bar, com uma mesa de sinuca rodeada de crianças brincando nela, e um homem com um walkie talkie na mão que seguia meu grupo com os olhos.

Era uma boca de fumo. Meus amigos e eu, "armados" com livros que anunciavam o amor de Deus e a grande esperança do retorno de Jesus, passamos por aquele lugar sem ao menos ameaçar entregar um único exemplar daquele presente.

Subimos mais um tanto do morro, fizemos uma curva e saímos da vista do homem com o rádio na mão. Mas eu tive que voltar e cumprir o que fomos fazer naquele bairro. Distribuí uns oito livros na boca de fumo. Confesso que não saí feliz, satisfeito ou coisa do tipo. A imagem das crianças naquele lugar me mostraram uma realidade que não estou acostumado a ver.

Pesquisa que deu origem ao documentário “Crianças no narcotráfico: um diagnóstico rápido”, produzido por pesquisadores do Ministério do Trabalho, da Organização Internacional do Trabalho e de ONGs cariocas, em 2000.

Prestes a ir embora e terminar nossa aventura missionária daquele sábado, passamos por uma rua revirada, abandonada, com lixo espalhado, um sofá velho e rasgado num canto, pessoas que pareciam mudas paradas nos observando, e um menino sentado na calçada fumando um baseado enquanto ouvia uma rádio evangélica.

Particularmente, passei por lugares em que não via esperança, apesar do material que voluntariamente distribuí.

Deus está vivo, e Ele é luz em meio àquela escuridão. Felizmente Deus não desiste dessas pessoas, e a esperança só termina com a morte.

Você, você mesmo que está lendo, todos os dias você tem a oportunidade de escolher estar com Deus, ouvi-lo, obedecê-lo.

"E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo." Atos 2:21

Levantamento realizado por uma equipe multidisciplinar que visitou, de julho de 2010 a outubro de 2011, os 320 estabelecimentos de internação existentes no Brasil, para analisar as condições de internação de 17.502 adolescentes que cumprem medidas socioeducativas de restrição de liberdade.


Talvez você não enxergue o que está acontecendo no mundo, mas cada cena miserável que acontece por aí é um grito de socorro. Jesus precisa voltar logo, e você precisa permitir que a "estrela da alva" (II Pedro 1:19) nasça em seu coração, para iluminar a escuridão de outras vidas.

Jesus é a luz, e Ele quer você.

"Guiarei os cegos por um caminho que não conhecem, fá-los-ei andar por veredas desconhecidas; tornarei as trevas em luz perante eles e os caminhos escabrosos, planos. Estas coisas lhes farei e jamais os desampararei." Isaías 42:16


Conheça o livro que distribuí naquele lugar clicando este link: http://livro.esperanca.com.br/em-busca-de-esperanca/


______________________________

Referência


sexta-feira, 21 de julho de 2017

TUDO SE TRANSFORMA


TUDO SE TRANSFORMA
Denize Vicente - Cidade Maravilhosa-RJ

Imagine que você namora um cara bem legal e vocês ficam noivos. Depois de um tempo vocês decidem se casar e começam a planejar a cerimônia e a grande festa. Escolhem a data, o local, o cardápio, os padrinhos, as madrinhas e os convidados. Uma festa pra 170 pessoas. O orçamento fica pronto. Algo em torno de 95 mil reais. Sim, estamos imaginando que você é uma daquelas garotas que vai casar com um cara que vai pagar quase sozinho os 95 mil reais para a festa do seu casamento.


Agora imagine que está tudo pronto, tudo pago, lista de presentes na loja, e falta apenas uma semana para o grande dia...


É quando vocês, por alguma razão, desistem. Isso mesmo. Não queremos mais nos casar, vocês decidem. A festa... Bem, fazia parte do contrato que em caso de desistência não haveria devolução do dinheiro...

E agora? Chora??

Essa é a história de Sarah Cummins e Logan Araujo; e eles decidiram que pessoas sem teto teriam a noite de gala que o casal havia programado para o casamento. Os convidados, agora, seriam os desabrigados que vivem na região de Indianapolis, no estado da Indiana, nos Estados Unidos. Sarah telefonou para aqueles abrigos que recebem moradores de rua e convidou os desabrigados para um jantar no centro de eventos Ritz Charles, em Carmel.

Sarah e Logan providenciaram roupa nova para os convidados, fazendo contato com empresas locais e moradores da cidade, que doaram ternos, vestidos e outros itens para que eles usassem.


A recepção, para o jantar, foi feita pela própria Sarah, com ajuda da sua mãe, de tias e das amigas que seriam madrinhas do casamento. No cardápio, almôndegas ao molho bourbon, queijo de cabra, bruschetta de alho, peito de frango com alcachofras e molho cremoso Chardonnay e o tradicional bolo de casamento. Logan disse acreditar que essa seria uma forma altruísta e generosa de lidar com a situação.


Charlie Allen. Fazia três meses que ele estava num desses abrigos Ganhou um terno pra ir à festa e se achou bem bonito quando se viu vestido com um paletó. Disse que aquela foi uma boa oportunidade que alguém teve de mostrar a ele e aos demais desabrigados o que eles podem ter – ou de lembrá-los daquilo que já tiveram...

Mães e filhas, adultos, crianças... todos os convidados tiveram uma noite fantástica. Não há como duvidar.


Como você tem lidado com as situações que saem de um modo diferente daquele que você planejou? De que modo você tem resolvido os problemas que surgem quando a ideia era que tudo fosse festa e alegria? Qual tem sido seu jeito de ver a vida e transformar as coisas tristes em oportunidades? Você pode, sim, chorar e se sentir devastado, como Sarah se sentiu, mas não precisa ser só isso. Você pode mais.

Eu não sei que eventos na sua vida podem ser oportunidades, mas eu arriscaria dizer que você sempre tem a chance de transformar a sua tristeza na alegria de alguém, além do que, é possível que frequentemente você possa transformar alegria em mais alegria – ou seja, tudo, absolutamente tudo, não importa o que você está vivendo, pode ser uma grande oportunidade de fazer o bem.

Pensando bem, basta querer.

_______________________

Referências:


https://www.theguardian.com/us-news/2017/jul/16/indiana-sarah-cummins-wedding-party-homeless
- acessado em 21.07.2017.