quarta-feira, 31 de maio de 2017

INVICTUS



INVICTUS
João Octávio Barbosa – Bento Ribeiro City - RJ


Pesquisando o tema para a coluna de hoje no blog, me deparei com este duplo aniversário: neste 31 de maio completam mais uma volta ao redor do Sol (isso se a Terra não for plana, o que eu acredito ser verdade, porque eu vejo um desses globos de mesa e não consigo entender como alguém que está no EUA não escorrega lentamente até o Brasil e dali cai num vácuo eterno universal... Bem, onde eu estava mesmo? Ah, aniversários...) o ator e diretor Clint Eastwood e a nação África do Sul.

O filme “Invictus” une esses aniversariantes, porque foi dirigido pelo primeiro e conta um importante marco histórico da segunda. O roteiro é real, e quem já viu o filme conhece; mas vamos aqui lembrar os pontos principais.


A África do Sul se notabilizou internacionalmente por viver no regime do “Apartheid” até próximo do fim do século passado. Era um tratamento racista de separação de direitos entre brancos e negros. Um dos grandes líderes que lutava pela igualdade era Nelson Mandela, que acabou décadas preso por isso. Quando, enfim, algumas mudanças começaram a surgir, Mandela foi não apenas solto, mas acabou sendo eleito presidente, em 1994.

O cenário nacional era complexo, cheio de problemas. Havia muita tensão entre bancos e negros, coisa que o filme retrata constantemente. Umas das alternativas que Mandela utiliza para harmonizar a população é o esporte. Os negros priorizavam o futebol. Já no rúgbi, a maioria dos jogadores era caucasiana. Por isso muitos sul-africanos negros passaram a torcer contra a própria seleção de rúgbi, fazendo dela um símbolo de uma África do Sul racista que ainda existia na clandestinidade.


Nelson Mandela (Morgan Freeman) chama o capitão da seleção, François Piennar (Matt Damon) e lança um desafio: ele quer que a seleção da África do Sul ganhe a copa do mundo de rúgbi que sediaria em 1995. Não era nada fácil, pois eles não eram os favoritos. Seria um desafio e tanto. Quase tão grande quanto unir um país rachado no meio.

A desunião parece ser da natureza humana. Um cristão faria uma definição mais completa: da natureza humana PECAMINOSA. Fomos criados como seres sociais, que dependem uns dos outros, e ajustáveis ao próximo. Nosso egoísmo é um intruso. Vem de longa data, mas tem prazo de validade. Veja este trecho da Bíblia:

“E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas”. Atos 10:34

SPOILER FINAL. Superando todos os prognósticos, a África do Sul chega até a final do mundial, encarando a poderosa Nova Zelândia. Pior: sagra-se campeã! País em festa, Mandela não podia estar mais orgulhoso. O filme retrata da seguinte forma: O carro de Mandela é então visto afastando nas ruas congestionadas de tráfego deixando o estádio, com Mandela assistindo os sul-africanos celebrarem juntos, no carro, a voz de Morgan Freeman é ouvida recitando o poema Invictus.¹

“Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.” I Coríntios 1:10

Se você quer estar num mundo perfeito, sem divisões estúpidas como o racismo, a homofobia, o egoísmo, a vaidade, o ódio e a violência, você pode esperar a volta de Jesus, que dará o direito de viver numa terra assim como recompensa àqueles que O amarem.

Estamos aqui para ajudar nessa busca!


Não peço que concordem, espero que reflitam!

_______________________________

Referência:

Sinopse disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Invictus - acessado em 05 de maio de 2017

terça-feira, 30 de maio de 2017

CRENÇAS - 8


CRENÇAS - 8
Airton Sousa - Direto de Florianópolis Paciência – Rio

Se você está acompanhando e curtindo a série, prepare-se: o capitulo de hoje é emocionante e um tanto quanto triste.

A vida é cheia de altos e baixos. Um dia tudo está funcionando perfeitamente, então no outro dia as coisas saem do rumo, as rodas saem do trilho e a gente se vê no buraco, perguntando: O que aconteceu? Tudo estava funcionando bem. A casa caiu.

O plano original da criação corria bem. Tudo estava centrado na Trindade, até que um anjo dotado de beleza e sabedoria, pelo Criador, resolveu se revoltar contra quem o havia criado.

Lúcifer usou de uma arma que não estava no programa: mentiras. Nosso Criador é a própria personificação da verdade e ao torcer a verdade e criar mentiras Lúcifer conseguiu arregimentar uma terça parte dos anjos, criando assim uma rebelião contra o governo de Deus. Esta história é narrada na Bíblia em Apocalipse 12:7-9. Lúcifer foi expulso do Céu.

E assim chegamos nesta parte da história do Universo. Como foi que começou o conflito entre o bem e o mal e como foi que a gente se envolveu nessa história?

Deus avisou a Adão e Eva: “Nunca se aproximem daquela árvore. Não comam do seu fruto, pois, senão, conhecerão a morte e o mal”, mas, disfarçado de serpente, Satanás testou a confiança e a lealdade de Adão e Eva. E eles acreditaram nas suas mentiras! Pronto. A partir daquele momento, Lúcifer conquistou o domínio sobre esta Terra. Seu governo de morte, maldade e sofrimento começaram.


Toda a humanidade está envolvida no grande conflito entre Cristo e Lúcifer. Toda inocência e pureza que havia, estavam contaminadas. O paraíso foi manchado.

JOBS, meu amigo que escreve aqui no blog às quartas-feiras, comentou sobre isto no seu texto “Lagoa Azul”.

Infelizmente para a humanidade, o preço de Adão e Eva terem comido do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal foi muito drástico. Adão e Eva não morreram tão instantaneamente, mas se contaminaram com uma doença sem cura (até a volta de Jesus): o pecado. Fica pior: essa doença é hereditária. E você, querido amigo, como descendente direto do casal do Éden, está doente também. Olhando ao seu redor você consegue enxergar um mundo doente?

“Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.” Romanos 5:12


Deus avisou a Adão e Eva. Eles caíram. O pior de tudo, agora, era a separação entre Adão e Eva e Deus e, consequentemente, nós todos. Mas antes que eles fossem expulsos do Jardim do Éden, Deus concedeu esperança, dando a promessa de um Salvador. Jesus precisava vir.

Continue acompanhando; esta série está ficando emocionante demais, meu caro. Houve um conflito e há um plano de resgate. Fique com a gente.

Até semana que vem!

__________________________________

Referência:

Texto baseado no livro “Nisto Cremos – lição para classe bíblica da Escola Sabatina” (data e editora não informadas)



segunda-feira, 29 de maio de 2017

MERCHANDISING PARA O CANAL DOS AMIGOS



MERCHANDISING PARA O CANAL DOS AMIGOS
Maria Paula Guimarães, Niterói-RJ

Oi, gente!
Nossos encontros por aqui costumam ser às segundas, tirando os contratempos, e tem sido um prazer estar com vocês virtualmente por meio desta coluna. Não tem sido fácil também – é verdade; mas tem sido edificante. Por falar em edificante, o post de hoje se encaixa bem nesse adjetivo. Em vez de deixar aqui as minhas palavras, deixo com muito carinho as palavras de uns amigos, em forma de debate, que podem contribuir muito para a sua fé.


Assista ao vídeo! É em formato diferente, 360°. Você vai girando e vendo a cara das pessoas. Depois, se gostar, deixe seu like no canal dos amigos (por que não fazer um merchandising básico, né?).



domingo, 28 de maio de 2017

DEUS NÃO ESTÁ MORTO


DEUS NÃO ESTÁ MORTO
Pamela Henriques Moreira – Angra dos Reis/RJ

Vi um vídeo com o escritor Augusto Cury, um Psiquiatra, que escreveu o livro “O Homem Mais Inteligente da História” - no qual ele fala sobre Jesus. Augusto Cury era um ateu convicto; ele chegou a dizer que se considerava mais ateu do que Nietzsche (autor da frase célebre: “Deus está morto.”). E estudando sobre Jesus, Cury chegou à seguinte conclusão: “Ele não cabe no imaginário humano.”. Ele ficou admirado como Jesus uniu homens com personalidades extremamente diferentes e difíceis em seu “time” para um trabalho tão importante. A transformação que Jesus realizou na vida daqueles homens com Sua sabedoria, bondade e generosidade foi algo incrível demais.

Uma frase que gosto bastante: “Não importa o quão inteligente você é; sempre haverá uma criança japonesa mais inteligente que você.”. Não é uma verdade absoluta, mas expressa a referência que temos do povo japonês com seus feitos, pela sua genialidade. Mas nunca existirá alguém como Jesus.


“Assim como a Lua e as estrelas do nosso sistema planetário resplandecem pela luz refletida do Sol, assim também os grandes pensadores do mundo, tanto quanto são verdadeiros os seus ensinos, refletem os raios do Sol da Justiça. Cada raio de pensamento, cada lampejo do intelecto, procede da Luz do mundo." (Ellen White, Educação)

Na semana passada, escrevi sobre a Luz do mundo. Dá uma olhadinha lá (clique AQUI).

Assim como a Lua e as estrelas refletem a luz do Sol, Jesus nos chama para sermos luz do mundo (Mateus 5:14), não para escondermos Sua palavra, mas para refletirmos Suas ações, palavras e caráter. Nunca seremos luz se não tivermos a fonte conosco, que é Jesus.

Mesmo quando Jesus já estava sendo perseguido, Ele não hesitou em fazer Seu trabalho, que é levar o verdadeiro Deus e esperança para a vida das pessoas.


Meu maior desejo é seguir os passos desse Cristo. Que usa de bondade e misericórdia com as pessoas que precisam. Que leva conforto e esperança a quem O procura. Que é justo em Suas palavras e ações.

Que essa transformação ocorra em mim – em nós – para sermos a luz que Deus deseja que sejamos, mesmo diante das adversidades que a vida nos apresenta.

Venha fazer parte desse time você também. Conheça mais sobre Jesus!

sábado, 27 de maio de 2017

MUDAR


MUDAR
Jackson Valoni – Angra dos Reis-RJ

Já comentei aqui uma vez a respeito das bodas de casamento que completei. Na verdade, boda. Fiz 1 ano de casamento em abril deste ano: boda de papel.
E esse primeiro ano de casamento é chamado assim, boda de papel, porque rasga fácil.

E, de fato, rasga. Se há algum período difícil no casamento, é esse comecinho. E gostaria de dividir uma experiência muito simples com vocês.

Assim que nos mudamos para a casa onde moro agora, eu tinha a ideia fixa de que não precisávamos de tantos talheres, copos e pratos, porque somos apenas duas pessoas. Eu ficava/fico inconformado com o tanto de tapaué (inventei a escrita, mas você sabe do que se trata) que temos aqui em casa. É muito pote. Uns sem tampa, uns sem utilidade, mas temos. Inclusive pote de sorvete.


Somos o casal imperfeito mais perfeito que existe. Devo confessar que não tenho habilidade para consertar chuveiro, reparar a porta do guarda-roupa que está soltando, instalar a lâmpada de casa, dar um jeito no buraco no teto deixado pelo reboco de gesso que simplesmente caiu... não sei fazer essas coisas de homem alfa. Minha esposa sabe.

Mas ela não faz só isso; além das tarefas corriqueiras do dia a dia, ela ainda consegue respirar, escrever para o blog, ver filme no Netflix comigo, trabalhar e pensar na viagem que ela insiste em fazer pra Disney.

Ou Deus me abençoou muito ou minha esposa fez algo muito grave para Deus ter me colocado na vida dela.

Brincadeiras à parte, hoje temos mais de dois copos aqui em casa, mais de dois garfos e facas e mais de dois pratos. Temos muito mais potes do que já tínhamos no início, também.

Brincadeiras à parte, de verdade agora, tenho aprendido a ouvir e a dar valor àquilo que não sei fazer. Tenho uma amiga, Renata, que tem como status de WhatsApp a seguinte afirmação: “mudar é uma decisão”.

Eu tenho mudado; como é difícil reconhecer o erro! O orgulho me impedia de ser humilde o suficiente pra perceber que eu estava sendo um Zé Mané.


O rei mais inteligente que passou pela Terra escreveu certa vez que “a humildade antecede a honra”. Provérbios 15:33

O mais legal é saber o que o Rei do Universo falou a respeito:
“Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.” Mateus 5:3

Mudar é uma decisão. Você é capaz de melhorar; mude.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...