terça-feira, 31 de maio de 2016

UM NOVO CÂNTICO



UM NOVO CÂNTICO
Por Airton Sousa

Salmo 137 é um dos salmos mais conhecidos do livro de Salmos e um dos mais lindos que eu já li. Triste, também.

Não sei pronunciar, mas acho muito lindo isto em Inglês: “By the river of Babylon...”. “Às margens dos rios de Babilônia...”.

Você deve ser muito novo, e não lembra, mas antigamente nossos amigos viajavam e se mudavam para outros lugares, longe, e nos mandavam cartinhas pelos Correios e elas sempre começavam assim: “Saudades...”. 
Eu tive uma amiga que se mudou para bem longe, quando eu era jovem, e ela me mandava longas cartas sempre reclamando da saudade e do frio gelado e da falta de amigos como eu. Com o tempo, essa saudade foi esfriando, novos laços foram formados e a gente foi se esquecendo.

Mas esse povo de que fala o salmo era um povo escravo, longe de casa e com muitas saudades. Tem gente que diz que o autor desse Salmo é o profeta Jeremias. Não sei... Mas é de uma tristeza de dar dó.
1.    Junto aos rios de Babilônia, Ali nos assentamos, nos pusemos a chorar, Ao recordarmo-nos de Sião.
2.    Nos salgueiros que há no meio dela, Penduramos as nossas harpas,
3.    Pois ali os que nos levaram cativos, nos pediam canções, E os nossos atormentadores exigiam de nós alegria, dizendo: Cantai-nos das canções de Sião.
4.    Como cantaremos a canção de YAHWEH, Em terra de estrangeiros?
5.    Se eu me esquecer de ti, Jerusalém, Esqueça-se a minha mão direita da sua destreza.
6.    Apegue-se-me a língua ao céu da boca, Se eu não me lembrar de ti, Se eu não preferir Jerusalém à minha maior alegria.
7.    Lembra-te, Javé, dos filhos de Edom, do dia de Jerusalém. Eles disseram: Arrasai-a, arrasai-a, Até os seus alicerces.
8.    Ó filha de Babilônia, que hás de ser destruída, Feliz será aquele que te retribuir Conforme nos fizeste a nós.
9.    Feliz será aquele que agarrar e esmagar os teus pequeninos Contra uma pedra.

Era uma cena triste. Eles levavam os instrumentos à beira dos rios, mas perdiam a vontade de tocar, "pois ali os que nos levaram cativos, nos pediam canções. Cantai-nos das canções de Sião".


Eles não cantavam, deixavam suas harpas penduradas em árvores e diziam: “Mas em terra estrangeira, como podemos cantar um hino a Deus, o Senhor?”.

Não havia razão para cantar. Não há lugar no mundo melhor que a nossa casa.

Antigamente, eu cantava canções de tristezas e pedidos de perdão; hoje eu canto canções de saudades do céu. Há diferença entre canções, assim como há diferença quando você atravessa o rio da graça e passa a viver na expectativa do rio da glória.

“... Ele me tirou de um poço de destruição, de um atoleiro de lama: pôs os meus pés sobre uma rocha e firmou-me num local seguro. Pôs um novo cântico na minha boca.” (Salmo 40:1-3)


Não devemos esquecer que fomos criados para morar com Deus. Ele mesmo colocou esse desejo em nós: “Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade.” (Eclesiastes 3:11). E Ele mesmo só ficará feliz quando nos encontrarmos face a face.

Pensando bem, não há razões para cantar nossas velhas e tristes canções; mas um dia, passadas todas as lutas e tristezas, nós cantaremos um novo cântico de honra e glória ao cordeiro que foi morto em nosso lugar.

"Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça." (II Pedro)

E Ele porá um cântico novo em nossos lábios!

segunda-feira, 30 de maio de 2016

LEVEZA



"Os anjos podem voar porque encaram a si mesmos com leveza".
(Gilbert Chesterton, citado por Marcos Benedicto em "Um Olhar Para o Céu", Meditações Diárias, 2016, Ed. Casa Publicadora Brasileira.)

  


#ficaadica
Seja leve. Viva leve. Voe.
E tenha uma boa semana!!

domingo, 29 de maio de 2016

PASSE O TEMPO QUE PASSAR

PASSE O TEMPO QUE PASSAR
Por Pamela Henriques Moreira

Na nossa lua de mel, eu e meu marido fomos para a Itália. Visitamos algumas cidades e finalizamos a viagem em Roma. Todas as cidades tinham seu ponto turístico principal; geralmente, era algum centro histórico. Gosto de viajar para lugares onde há ruínas, onde eu possa visualizar um pouco do passado.

Em Roma, o gigantesco Coliseu, uma das sete maravilhas do mundo moderno, chama muita atenção e pude perceber que o título é merecido. Embora tenha sido um lugar para eventos nada amistosos, como as brigas travadas entre os gladiadores, é intrigante estar em uma construção antiga - datada de 68 a 79 d.C. - que embora esteja em ruínas por acidentes naturais e ações do tempo, continua até bem preservada.

Moro no Rio de Janeiro. Uma das suas principais atrações turísticas também é uma das sete maravilhas do mundo moderno. Mais novo do que o Coliseu, com apenas 84 aninhos - o Cristo Redentor é maravilhoso em muitos sentidos e até rendeu texto aqui no Blog (clique AQUI). Nosso Amigão mostrou total surpresa em estar diante de tal monumento, mas também relatou a indiferença daquelas pessoas que já se acostumaram e não veem mais a beleza do Cristo com seus "braços abertos sobre a Guanabara".

Assim como no Rio de Janeiro, em Roma era possível perceber que, enquanto alguns se admiravam, outros eram indiferentes ao Coliseu. Tinha até mesmo, e isso não podia faltar, aqueles que aproveitavam para comercializar seus “souvenirs”.


Assim como os monumentos, estamos sujeitos às ações do tempo. Às vezes fico admirada de como o ser humano muda no decorrer dos anos, seja fisicamente, psicologicamente e até nos gostos.

Diferente de nós, Aquele que é Todo-Poderoso, nosso Pai, Criador, Eterno, Santo e Salvador não muda.

 “Porque eu, o Senhor, não mudo.” Malaquias 3:6

"Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação." Tiago 1:17

Embora Deus esteja sempre presente, muitos O ignoram ou se aproveitam de Sua imagem para obter lucros. Embora seja imutável, muitos distorcem Suas palavras, tratando-O até mesmo como uma ruína, ultrapassado ou sem valor. Deus é o mesmo do início ao fim (Apocalipse 1:8), Seu amor é imutável (Jeremias 31:3), assim como Suas palavras (Lucas 21:33), aconteça o que acontecer, passe o tempo que passar.

Não visite Deus quando estiver de férias como se fosse um monumento a admirar, nem o procure quando precisar de uma "ajudinha". Seja amigo fiel, esteja diariamente em contato com Aquele que venceu a morte para salvá-lo.


 "Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente." Hebreus 13:8


sábado, 28 de maio de 2016

IMPREVISÍVEL


IMPREVISÍVEL
Por Jackson Valoni

Um gambá veio visitar o quintal da minha casa. Até pouco tempo atrás, eu pensava que todos os gambás eram como no desenho dos Looney Tunes - que era bonitão, preto e branco.




As pessoas só se frustram com aquelas coisas sobre as quais criaram expectativas. Gosto muito de uma frase da propaganda da Sul América Seguros: “A vida é imprevisível, e isso é muito bom.”.

São as imprevisibilidades e suas prováveis frustrações que devem motivar as pessoas a superar suas ilusões, juntar forças, serem fortes.

Já fiz tantas besteiras na minha vida... Talvez, se não fosse pelas minhas más ações, ou pelas notícias ruins que já recebi até hoje, não teria forças pra seguir adiante.

Mas esse é o ponto. Tem gente que recupera as forças com a família, no horóscopo, no Psicólogo, em Deus, no cônjuge. Os desafios da vida não podem ser, simplesmente, camuflados com terapias, nem substituídos por outras atividades que ocupem a mente. Desafios não enfrentados transformam-se em traumas, e traumas distanciam as pessoas da real felicidade.

“A vida é imprevisível, e isso é muito bom”... Deus oferece os meios perfeitos para que possamos saber como agir, não só no cotidiano, mas também nas situações mais originais da nossa vida. 



Se as coisas não saem conforme o esperado, que essas experiências possam ser mais um motivo para nos reencontrarmos com Deus, que pode prover soluções tão criativas quanto as situações inusitadas que encontramos pela vida.

"Ah! Senhor, estejam, pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu servo e à dos teus servos que se agradam de temer o Teu nome; concede que seja bem sucedido hoje o Teu servo e dá-lhe mercê perante este homem." Neemias 1:11

As nossas energias têm que ser recuperadas, principalmente,  pelo meio inefável, mais sublime e eficaz que existe: Deus!  A fortaleza da minha vida. A quem irei temer? Salmo 27:1

Assim iremos progredir.