segunda-feira, 30 de novembro de 2015

A VERDADEIRA PROCLAMAÇÃO

A VERDADEIRA PROCLAMAÇÃO
(Por Sérgio Mafra)

Há alguns dias, comemoramos em nosso país a proclamação da República. A monarquia se via, cada vez mais, sem poder e base de sustentação político-econômica e, posteriormente, militar. A questão da escravidão, vista pelos progressistas como um impeditivo à modernização do país, virou um grande problema. A igreja declara Dom Pedro infiel por conta da maçonaria e os militares ganham cada vez mais espaço e a admiração da classe média, após a vitória na Guerra do Paraguai, e sofre influência do positivismo com relação à ordem e à filosofia.

Dom Pedro estava ficando sem saída e cada vez mais pressionado e encurralado. No final de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca cerca, com suas tropas, os ministros imperiais, e exige a deposição do Imperador. Em 15 de novembro de 1889 é oficializada a Proclamação da República no Brasil. A única nação sob regime monárquico nas Américas passa a ser, enfim, republicana.

Ao relembrar esses momentos de nossa história, me peguei avaliando a quantidade de setores da sociedade envolvidos na Proclamação da República. Quanta gente, ideias, pensamentos, reuniões e marchas! É bem verdade que a população, de maneira geral, esteve apática ao processo, mas é inegável que houve uma junção de forças para que a República se tornasse realidade.

Quando você tem um ideal, as barreiras se tornam estímulos ainda maiores para prosseguir. Durante esta semana convido você a avaliar quais têm sido os seus ideais...

Em que e por quem você tem empregado seu tempo, seus recursos e talentos?

Não seja mais um em meio à multidão, e faça a diferença!


domingo, 29 de novembro de 2015

O OLEIRO E O MACHADO – PARTE 1

O OLEIRO E O MACHADO – PARTE 1
(Por Lucileide Santos)

Ontem, no BRT, enquanto eu voltava pra casa, um senhor se posicionou no início do ônibus, se apresentou e começou a falar; disse-nos que faria uma breve palestra e que suas palavras eram muito importantes, pois seu projeto mudaria o rumo da vida das pessoas que ali estavam. Bem, ele falou, falou e o que pude notar em seu discurso foi a preocupação, muito presente na vida de todos nós, de como estamos levando a nossa vida... coisas como: por que existem pessoas que não alcançam o sucesso ou a realização pessoal?; por que pessoas com tanto potencial não avançam nem chegam tão longe e por que não enriquecem? No meio da fala daquele senhor todas essas respostas se concentravam em uma só coisa: tudo depende do que dispomos e somos.

Muitas coisas passaram por minha mente durante a viagem de BRT, e entre elas: a) as pessoas realmente associam realização pessoal ou sucesso diretamente com o enriquecimento material; b) mudar, se renovar e recriar um novo eu é coisa muito mais complexa do que parece; na verdade, é algo pra ser feito por alguém genial!

Eu não sei muito o que significa pra você se sentir realizado, porque acredito que essas coisas variam de pessoa pra pessoa, mas, meu amigo, eu espero realmente que a sua ideia de sucesso não se limite apenas a ter bens materiais!

O conceito de sucesso é, como a maioria dos conceitos, uma construção social e depende muito do meio em que vivemos e crescemos, e de com quem convivemos.   É como o conceito de felicidade. Se você perguntar para 20 pessoas diferentes o que é felicidade ou o que é sucesso, provavelmente, terá 20 respostas diferentes!  Para uma pessoa que tem como aspiração ter uma família, a maternidade lhe trará felicidade e ver esses filhos bem criados e seu casamento feliz fará com que se sinta realizada. E não podemos dizer que não alcançou o sucesso, pois para ela isso era tudo o que ela gostaria de ter.

Bem, a intenção de nossa prosa não era tratar de realizações e sucessos, mas já que estamos indo por esse caminho... gostaria de dividir com você algo bastante interessante:

“Se o machado está cego
e sua lâmina não foi afiada,
é preciso golpear com mais força;
agir com sabedoria assegura o sucesso.”(Eclesiastes 10:10)

A princípio, você lerá essa frase e a achará um tanto engraçada; mas olhe mais de perto, com um pouco mais de atenção.  Isso nos leva a nossa conclusão do primeiro parágrafo: tudo depende do que dispomos e somos.  O versículo fala da condição do machado, da necessidade de se saber o que fazer e que para isso é necessário ter sabedoria e que assim alcançaremos o sucesso; e isso faz desse pensamento algo perfeito e profundo!

Legal, não é?!

E agora você deve estar se perguntando, assim como eu me perguntei na minha volta para casa: Ok! Como saber o que fazer e ter sabedoria para isso?

Voltemos à figura da pessoa que está com o machado cego. Ela tem duas opções: continuar como está ou bater com mais força, certo?!  Uma das coisas que me lembro da fala do senhor do BRT é que na busca do sucesso existe a necessidade de se tomar um novo rumo, mudar! Comentamos sobre isso também, lembra? Mudar é difícil, é coisa pra um ser genial! 

Ah, queridos, isso me lembra de uma nova ilustração! Conhecem a figura do oleiro, citada na Bíblia em Jeremias 18:3 e 4? Não?! Então, segura aí, porque nossa conversa vai dar um tempo, mas não para por aqui...

Um ótimo domingo e até semana que vem, neste mesmo horário, neste mesmo blog! ;)

sábado, 28 de novembro de 2015

DESAFIO


DESAFIO
(Por Jackson Valoni)

Aprendi a comer beterraba depois que minha mãe começou a misturar no feijão. Meu paladar foi se acostumando a digerir aquilo. Antes, quando vinha in natura, em raspas ou rodelas, nem me importava com a existência desse legume no planeta Terra.

Logo no início do meu namoro, querendo agradar à Pamela, fui a um restaurante de comida japonesa. Odeio peixe, mas comi peixe cru. O que eu mais queria naquele momento era tirar aquele gosto da minha boca. A propósito, pretendo experimentar aquele troço nunca mais. Sou mais pipoca.

A beterraba é um desafio superado pra mim. Fui conquistado.


Quando eu frequentava uma igreja em Marechal Hermes, em alguns sábados após o fim dos cultos íamos até um ponto de ônibus próximo ao Hospital Carlos Chagas para distribuir folhetos com mensagens sobre Jesus e o amor de Deus por nós. Eu era criança, naquela época, mas me lembro de que gostava demais de entregar os folhetos. Sentia que eu estava apresentando algo desconhecido para as pessoas que estendiam a mão pra pegar o que eu oferecia. E o Espírito Santo usa esses folhetinhos, tenho certeza.


Meu desafio atual é comer jiló. Faço o esforço porque é saudável. A mensagem sobre a Salvação vai além de dizer "Deus é amor". Pode parecer amargo, sem gosto, sem graça.  

Quer ensinar? Não traumatize. Quer aprender? Vá no seu tempo. Mas tenha em mente que fará bem à saúde.

"Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor." João 10:16


O mundo precisa ouvir.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...