sábado, 31 de outubro de 2015

ZÉ-NINGUÉM

ZÉ-NINGUÉM
(Por Jackson Valoni)

Lembro-me do meu primeiro dia de aula na faculdade. Os alunos arrumaram as cadeiras em formato de círculo e os professores se juntaram a nós. O coordenador do curso pediu para que os alunos se apresentassem e dissessem o porquê de terem escolhido o curso de Direito.

Eu me lembro muito bem daquilo. Alguns colegas tinham parentes trabalhando na área jurídica, juízes, serventuários... Outros disseram que sempre gostaram da carreira, diziam que o teste vocacional havia apontado para aquilo. Minha vez estava chegando... nunca tinha me perguntado o porquê de estudar Direito. Queria ser jornalista, publicitário, contar piada, sei lá... Minha vez. Respondi: "Pra fazer concurso público e ganhar dinheiro".

Eu imagino como Jesus chamou os 12 discípulos. Eram uns zés-ninguém em sua maioria. Pescadores, cobradores de impostos, talvez mal soubessem escrever ou se expressar. Jesus chamou Pedro para ser Seu discípulo como se fosse uma intimação: "Não tenha medo! De agora em diante você será pescador de homens." (Lucas 5:10)

Os discípulos tiveram medo, são humanos. Mas pescaram muitas pessoas. Ganharam muitas pessoas pra Jesus!

Eu acredito que Deus está ao lado dos Seus filhos. Acredito que Deus está cuidando de mim, mesmo que, à primeira vista, eu não tenha vocação nenhuma pra estudar Direito; mas tenho certeza de que não entrei nesse curso por acaso.

Quando Deus chama você pra fazer alguma coisa, confie! Ter medo e ficar preocupado é inevitável.

"O discípulo não está acima do seu mestre; todo aquele, porém, que for bem instruído será como o seu mestre." (Lucas 6:40)

Que Deus seja nosso mestre, e que possamos confiar nos planos dEle para a nossa vida. O cristão deve se espelhar no seu maior professor: Jesus! Deus está no controle, sempre!

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

O QUE DIZEM POR AÍ SOBRE O SUCESSO LHE INTERESSA?


O QUE DIZEM POR AÍ SOBRE O SUCESSO LHE INTERESSA?
(Por Denize Vicente)

Em 2005 conheci pessoalmente um jornalista que trabalhava em uma emissora de TV bem popular no Brasil. Ele havia lançado um livro de entrevistas havia pouco tempo; e então, como ficamos amigos, ele me fez uma dedicatória bem bacana e me presenteou com um exemplar da segunda edição. O livro trata de “sucesso”, e nele está publicada a opinião de mais de cem brasileiros bem-sucedidos, sobre esse tema.
                                                 
Algumas opiniões me impressionaram bastante; até negativamente – João Gordo, por exemplo. Umas me fizeram rir, outras me emocionaram. Leonardo Boff, sempre fantástico, faz ótimas considerações sob interessante ponto de vista. Lulu Santos, confesso, não entendi muito a dele – esperava algo bem mais legal. Washington Olivetto fala em talento, trabalho e sorte, e de duas coisas que ele faz questão: ser levado a sério e nunca se levar a sério, e nunca estar na moda porque moda sai de moda. Paulo Coelho... ah, Paulo Coelho... Tsc, tsc, tsc... Era um livro em Português, mas ele resolveu falar sua frase em Inglês. Três palavras, aliás; e só. Vai entender...

Um dos trechos que mais me impressionou foi o de Zilda Arns:
“A minha infância e adolescência me proporcionaram os alicerces para o sucesso. Isto é, minha vida familiar e comunitária, minha escola e as oportunidades que tive de praticar a fé de forma objetiva me ajudaram a desenvolver os talentos, a preparar-me para enfrentar as vicissitudes da vida.
Em todas as atividades, como voluntária, estudante, médica ou diretora, procurei dar tudo de mim para o alcance dos objetivos, prestando especial atenção ao preparo e motivação dos recursos humanos, às ações mais simples e de maior impacto, à satisfação dos usuários.
Procurei sempre fazer uma boa articulação no campo multiprofissional e intersetorial, e me senti sempre na responsabilidade de maestro discreto, cuidando da harmonia dos sons e instrumentos.
Ouvir muito, principalmente os usuários e os trabalhadores, escolher prioridades e estratégias, conquistar apoio pelos resultados, acreditar sempre no que estava fazendo, ter diplomacia nas divergências e não irritar os superiores, principalmente, quando incompetentes.”

Mais que uma opinião, Zilda Arns revelou segredos do seu sucesso. Tratou de fé, respeito, atenção ao outro, estratégias, prioridades, motivação... Especialmente nos deixou entender o que é, exatamente, “sucesso”. Enquanto alguns disseram que ele tem a ver com “vocação”, “sorte”, “postura”, ou “estrela”, ela nos revelou que ele tem muito mais a ver com sabedoria.

Hoje eu convido você a refletir sobre isso. Mais uma semana está chegando ao fim, e você, assim como eu, cometeu erros e acertos. Talvez o foco esteja na coisa certa, talvez não; talvez esteja faltando habilidade para lidar com as situações; talvez você esteja preocupado demais com o que não carece de tanta atenção, e não se ocupando com as coisas que realmente vão fazer a diferença.

E se você ainda tiver mais cinco minutinhos disponíveis, e quiser se aprofundar um pouco mais nesse tema ligado ao sucesso, eu ainda lhe deixo duas dicas:

Dica 1: Leia a Bíblia. A Bíblia é um excelente manual de instruções para alcançar o sucesso. De lá, por exemplo, eu extraí duas preciosas lições: “Agir com sabedoria assegura o sucesso." (Eclesiastes 10:10) e "Se você temer a Deus, terá sucesso em tudo.” (Eclesiastes 7:18).

Dica 2: Leia este trecho da entrevista que o famoso Randolph Brennan concedeu a Max Gehringer, e que transcrevo, aqui, a partir de uma transmissão da Rádio CBN, num quadro sobre o “Mundo Corporativo” - https://youtu.be/rpWMf7aaejo


Entrevista com Randolph Brennan

Pergunta:
Ainda é possível ser feliz num mundo tão competitivo?

Resposta:
Quanto mais conhecimento conseguimos acumular, mais entendemos que ainda falta muito para aprender. É por isso que sofremos. Trabalhar em excesso é como perseguir o vento. A felicidade só existe para quem consegue aproveitar, agora, os frutos do seu trabalho.



Pergunta:
O profissional do futuro será um individualista?

Resposta:
Pelo contrário. O azar será de quem ficar sozinho, porque, se cair, não terá ninguém para ajudá-lo a levantar.



Pergunta:
Que conselho o senhor daria aos jovens que estão entrando no mercado de trabalho?

Resposta:
Que é melhor ser criticado pelos sábios do que ser elogiado pelos insensatos; elogios vazios são como gravetos atirados numa fogueira.



Pergunta:
E para os funcionários que tem chefes centralizadores e perversos?

Reposta:
Muitas vezes os justos são tratados pela cartilha dos injustos, mas isso passa. Por mais poderoso que alguém pareça ser, essa pessoa ainda será incapaz de dominar a própria respiração.



Última pergunta:
O que é, exatamente, sucesso?

Resposta:
É o sono gostoso. Se a fartura do rico não o deixa dormir, ele estará acumulando, ao mesmo tempo, a sua riqueza e a sua desgraça.



Belas e sábias respostas…
Eu só queria me desculpar pelo fato de que não existe nenhum Randolph Brennan. Eu o inventei. Todas as respostas, embora extremamente atuais, foram retiradas de um livro escrito há 2300 anos: o ECLESIASTES do Velho Testamento bíblico. Mas, se eu digo isso logo no começo, muita gente, talvez, nem teria interesse em continuar ouvindo…


Max Gehringer – para a CBN

(Disponível em https://youtu.be/HvuCh5Yq3uc - acessado em 20.10.2015)





Se você chegou até aqui, eu tenho duas coisas pra lhe dizer: a) você, realmente, está interessado em alcançar o sucesso; b) você não pode negar: a Bíblia é um tremendo manual de instruções para a vida.
Estude-o!
#ficaadica

_________________

Referências:

- Rezende, Sidney – Deve ser bom ser você – Ed. Futura, 2002, 2ª ed., p. 110

- “Dra. Zilda Arns Neumann foi médica pediatra e sanitarista, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa - organismos de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Dra. Zilda Arns também foi representante titular da CNBB, do Conselho Nacional de Saúde e membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).
Nascida em Forquilhinha (SC), residia em Curitiba (PR), mãe de cinco filhos e avó de dez netos. Escolheu a medicina como missão e enveredou pelos caminhos da saúde pública.”
Zilda Arns, morreu no dia 12 de janeiro de 2010, vítima de um terremoto ocorrido na cidade de Porto Príncipe, no Haiti, no dia 12 de janeiro de 2010. - Fonte: Pastoral da Criança – disponível em: http://www.pastoraldacrianca.org.br/biografia-dra-zilda - acessado em 20.10.2015.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

AGRADEÇO PELA VIDA!

AGRADEÇO PELA VIDA!
(Por Carina Baptista)

Oi pessoal, tudo bem com vocês??

Este é o último texto do "especial agradecimento". Hoje vou falar sobre o principal motivo de agradecimento - sem ele eu não estaria aqui para agradecer: a vida! Sou realmente muito grata a Deus pelo dom da vida. Poder acordar todos os dias, respirar, agradecer a Ele por tudo o que tem feito por mim nestes 25 anos.

A vida não foi fácil… Eu, aparentemente, tinha muitos motivos para ser uma "rebelde", mas Deus todo o tempo é bom e colocou a Sua mensagem na vida da minha família, o que fez com que eu tivesse um caminho a seguir, um céu a almejar, um Jesus pra me espelhar e amigos de fé para caminhar junto.

Muitos milagres aconteceram na minha vida. Muito livramento, muito trabalho para o meu anjo da guarda e agora muita história para contar, que são testemunhos de um Deus que ama e cuida.

Vou contar alguns.


Quando eu tinha cerca de nove anos, tive uma doença que, na época, foi um surto. Muitas pessoas morriam por causa dela; eu fiquei muito fraquinha, não tinha ânimo para quase nada. Minha mãe, me vendo naquela situação e sem ter condições de arcar com um tratamento particular, me levou ao hospital público que era referência nesse tipo de tratamento. Fiz vários exames de sangue. Os médicos decidiram que eu teria que refazer os exames e todos da minha família também teriam que fazê-los, para descobrir de quem eu havia pegado a doença. Acabou que esse procedimento foi marcado para o período de Carnaval, mas, não me lembro exatamente por que, eles não foram feitos. O que importa dizer é que um tempo depois, ao refazer os exames de costume, eu não tinha mais nenhum traço da doença. Até hoje, quando vou ao médico, comento sobre o ocorrido, mas nada aparece nos exames. O triste disso é que não posso doar sangue, mas agradeço por ter tido uma segunda chance de viver.

Deus já me livrou de tiroteio, acidente de carro, tornozelo quebrado. Tudo que aconteceu na minha vida inteirinha foi guiado por Ele. Coisas boas são bênçãos, e as ruins, oportunidades de polir a fé! Tenho muitas coisas a melhorar, ainda, mas por ora vou me ater apenas a ser grata por tudo. O meu mês de agradecimento está chegando ao fim, mas fica a dica para você reconhecer que Deus é bom e cuida de nós, mesmo quando achamos que estamos sozinhos.

Um beijo e até semana que vem.