quarta-feira, 30 de setembro de 2015

OPORTUNIDADES DE OURO


OPORTUNIDADES DE OURO
(Por Eduardo Santos)

Certo dia, dez jovens foram convidadas a comparecer em um evento de enorme importância social, coisa da alta sociedade. Não se sabe dizer se eram conhecidas umas das outras nem se havia algo em comum entre elas, além de serem jovens. Todas receberam uma pequena mensagem via WhatsApp informando data, local e horário. Tais informações foram acompanhadas apenas por duas recomendações: não se esqueçam de levar seus celulares consigo - ele será necessário, pois cada convidado receberá um código de confirmação do convite; e estejam prontas quando forem chamadas.

Os dias passavam como se estivessem se arrastando, mas logo chegou o tão esperado dia. Naquele dia, cada uma em sua casa se arrumava da melhor forma possível. Cuidavam do cabelo, da roupa e de tantos outros detalhes que há quem pudesse pensar que não seria possível terminar aquela preparação em um único dia!

Chegando ao local, todas foram recepcionadas com a mais alta pompa. Foram direcionadas para uma sala muito bem ornamentada e com provisão de líquidos e comida enquanto esperavam ser chamadas.

Algo me leva a crer que o responsável pelo evento não era britânico - de repente, brasileiro ou de qualquer outra nacionalidade -, pois houve um atraso, mas não um atraso de 10 ou 15 minutos... foi um daqueles bem grandes! E então, algo muito esquisito, apesar de costumeiro, aconteceu: na sala, a interação era esmagadoramente mais virtual do que real, e todas preferiam interagir com seus próprios smartphones do que com as demais jovens.

Descuidadas, não se aperceberam de que as baterias não durariam eternamente e o inevitável aconteceu: todos os celulares descarregaram. Como já era de costume, para algumas, metade das moças carregava consigo o carregador também, mas não haveria tempo para duas pessoas carregarem seus celulares com apenas um carregador. Já era tarde da noite, não havia nenhum lugar que vendesse um carregador qualquer para solucionar o problema. Umas das jovens propõe que cada uma volte a sua casa para buscar o carreador do seu telefone.

Saindo pelas ruas, vão-se as jovens. Enquanto isso, na sala de espera, os celulares começam a tocar. Eram as confirmações chegando e, logo em seguida, as jovens ali reunidas são convocadas a comparecer onde se encontrava o anfitrião. Momentos depois, retorna a outra metade das jovens, as esquecidas, mas elas deram com a cara na porta. Suplicaram permissão para entrar, porém foram dadas como não convidadas pelo próprio anfitrião e permaneceram do lado de fora.

Com certeza você já deve ter reconhecido de onde saiu essa história; mas, para aqueles que ainda não a conhecem, devo dizer que fiz algumas alterações para aproximá-la um pouco mais da nossa realidade - elas estão em itálico; o texto real encontra-se em Mateus 25:1-13.

Lembrei-me dessa tão usada parábola em um dos meus devaneios, digo, nas minhas reflexões vespertinas. Não é sempre que acontece; na verdade, não existe uma rotina reflexiva, mas sou confrontado com algumas coisas que me botam para pensar, às vezes. E foi assim, numa tarde que já não me lembro mais qual foi. Li a seguinte frase: “A oportunidade dança com quem já está no salão.”. Achei a frase curiosa e de uma pertinência impressionante! Quando eu era mais novo, minha vó costumava me dizer que a oportunidade é uma mulher com cabelos apenas na testa e que, se a deixamos passar, não temos mais onde nos agarrar a ela.

Olhando a parábola, especificamente, fica claro que ela trata das bodas do Cordeiro (uma forma figurativa de se falar sobre a vida eterna com Cristo), mas podemos encará-la de uma forma generalista, imaginando que Jesus falava sobre as grandes oportunidades que Deus nos dá; afinal, quer maior oportunidade do que poder viver com Aquele que criou você e lhe salvou e que o ama incondicionalmente?

A cada dia, Deus coloca diante de nós uma imensidão de boas oportunidades. Infelizmente, não somos capazes de enxergar todas, mas existem algumas que somos obrigados a deixar passar porque não nos preparamos para elas, não estamos no salão para dançar! Creio que, quando isso ocorre, nós ficamos tremendamente tristes e Deus muito mais.

Hoje é um novo dia. Deus já deve ter nos dado algumas oportunidades de sermos felizes, de fazer alguém feliz, de trocar de emprego, de tirar uma boa nota na prova ou, simplesmente, de tirar um dia de descanso. Esteja pronto e atento; afinal, depois que a oportunidade passa não se sabe se ela um dia volta!

Um grande abraço.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

QUANDO EU FALO COM DEUS

QUANDO EU FALO COM DEUS 
(Por Airton Sousa)

Dos temas que mais aprecio e sobre os quais mais gosto de escrever... a oração é melhor deles. Você, que me acompanha, sabe disso e até já orou comigo, muito provavelmente. Já mencionei também a canção que cantamos na igreja que eu frequento, nos momentos de orações: “Falar com Deus, que privilégio...”.

Naquele sábado, duas amigas, a Elisa e a Eliana, me convidaram para participar com elas do culto na igreja em Campo Grande. Foi um sábado memorável! Houve um momento em que uma senhora que dirigia os momentos de oração convidou a todos que estivessem precisando de um milagre de emprego, ou saúde, ou problemas familiares, para que fossem até o púlpito para depositar esses pedidos nas mãos de Deus. O que eu vi e ouvi dali pra frente... nunca vou esquecer! A moça orou de um jeito tão profundo que eu me vi tentado a abrir os olhos e olhar ao redor. Todas as cabeças estavam inclinadas, reverentes. Olhei para a moça, via seus lábios em movimento e ouvia as palavras que ela dirigia a Deus, de um modo tão extraordinário e impressionante que fui levado a pensar que Deus está no céu e nós por aqui, mas que naquele exato momento estávamos ligados. Deus e eu, Deus e a igreja, em sintonia perfeita.

Mas Deus já sabe tudo quanto ao futuro, do mesmo jeito que sabe do passado e das necessidades de hoje. “E será que antes que clamem, Eu responderei; estando eles ainda falando, Eu os ouvirei.” (Isaías 65:24). Enquanto estamos orando Ele está respondendo; enquanto estamos falando, está ouvindo. Lembro-me da oração de Pedro, que gritou: “Senhor me salva!”. E eu tenho feito essa mesma prece, diariamente, com outras palavras, mas sempre invocando salvação, livramento, perdão. “Senhor ouve a minha oração e chegue a ti o meu clamor.” (Salmos 102:1)

Gosto muito de uma das músicas do “Prisma Brasil”:
“Oh Senhor Jesus atende minha oração
Necessito sim, da Tua poderosa mão
E quando a alma está abatida
Busco sempre aquela rocha que é mais forte que eu
É mais forte que eu”

Enquanto estou falando, Ele me ouve; e antes que eu termine Ele já preparou a resposta, pois a promessa é: “Invoca-me no dia da tua angústia e eu te responderei.”. (Salmos 50:15)

“Ó tu que ouves as orações! A Ti virá toda a carne.” (Salmos 65:2)

Tenho estado durante todo o ano de 2015 orando por milagres, milagrinhos e grandes milagres, e a oração já se tornou a coisa mais natural do mundo na minha vida, tão natural que não consigo mais iniciar nenhum dia sem esses momentos íntimos com o Pai do céu.

Não deixe que seu dia comece, hoje, sem conversar com Deus.
E seja feliz, mas feliz mesmo! Feche os seus olhos; é momento de oração. Fale com Deus!

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

O QUE NINGUÉM QUER VER – Parte 2 (ORIGEM)

O QUE NINGUÉM QUER VER – Parte 2 (ORIGEM)
(Por Sérgio Mafra)

Não sei se você reparou no último texto, mas uma das frases que usei foi que não pretendíamos criar novas teorias para os problemas da humanidade. Acho que a origem da nossa reflexão poderia bem passar por esse aspecto.

Quantas vezes você já ouviu a expressão: “O mundo está ficando louco” ou “A Terra está de cabeça pra baixo”? Temos a mania de generalizar e jogar para “o mundo” as nossas responsabilidades. Será mesmo que o mundo está louco? Será a que natureza resolveu de uma hora pra outra mudar o clima ou tornar o ar poluído? Será que a Terra resolveu dar o troco ao homem?

Nosso planeta sofre em razão das nossas atitudes. O problema não é a Terra que está louca ou de cabeça pra baixo; quem está assim somos nós mesmos. Os homens estão perdendo de vista o real significado do “ser humano”.

Acredito que pra começarmos a refletir, temos que primeiro definir os atores principais dessa história: eu e você. Mas aí você pode questionar e dizer: “Eu?” Por que eu? Não tenho o controle em minhas mãos. “Você deveria responsabilizar a Dilma, o Obama, os europeus, mas eu?”...

O ponto está aí, amigos. Admitir que estamos, sim, todos no mesmo barco, entender que todos temos nossas responsabilidades (obviamente que as proporções alcançadas pelas atitudes de cada um é outra discussão) e que, SIM!, também somos parte dessa humanidade que está louca e virando ao avesso.

Pense nisso quando tiver um tempinho, e no próximo texto continuaremos avançando em nossa construção de pensamento.

Um abraço!

domingo, 27 de setembro de 2015

GRATIDÃO É TUDO!


GRATIDÃO É TUDO!
(Por Lucileide Santos)

A gratidão é uma das qualidades mais nobres do ser humano. Uma pessoa ingrata se torna um tanto desagradável de se conviver. Quem ama a Deus não consegue deixar de agradecer, pois são muitas as coisas que Ele faz em nossas vidas!

Hoje eu gostaria de agradecer! Agradecer pelos dias de sol, pelos dias de chuva, pelo cuidado, por meus amigos, por minha família! Agradecer é algo que nos traz alegria, que nos ajuda a enxergar o mundo por um prisma mais leve, mais bonito!

Agradecer nos emagrece de toda aquela soberba e da falsa impressão de que somos capazes sozinhos!  Quando contamos uns com os outros a vida é mais legal e tudo, por mais que pareça difícil, fica mais fácil.

Então vamos começar esse dia em atitude de gratidão? Ah! Não esquecendo o mais importante: “Deem graças ao Senhor porque Ele é bom; o seu amor dura para sempre.”. (Salmos 107:1)

Sou grata, principalmente, por isso: o amor de Deus dura para sempre!!!
Nunca se esqueça: apesar dos pesares, seja grato, pois Deus sempre amará você!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...