segunda-feira, 31 de agosto de 2015

TUDO SEM SENTIDO! NADA FAZ SENTIDO! – (Parte 1)

TUDO SEM SENTIDO! NADA FAZ SENTIDO! – (Parte 1)
(Por Airton Sousa)

Gostaria de fazer, hoje, uma lista com algumas regras para ser feliz, e convidar você a refletir seriamente nessas regras. O problema é que enquanto eu procurava inspiração para elaborar uma lista descobri que há, pelo menos, cinco regras para fazer uma lista:

1 - Invente um tema;
2 - Escreva uma coisa depois da outra;
3 - Numere as coisas em ordem crescente ou decrescente;
4 - O último número deve ser “punch line”;
5 - Lembre-se: isso nem sempre funciona.

Não funciona mesmo. Primeiro, porque eu nem sei o que é "punch line"; e, segundo, porque minha lista ficaria imensa! Mas eu parei de procurar quando me lembrei que já existe essa lista; são dez regras que foram escritas pelo próprio Deus:

1. Não acredite na existência de outros deuses nem tente explicar o universo tirando Deus da jogada.
2. Não adore qualquer criatura que pretenda representar Deus. 
3. Não ofenda o nome de Deus nem coloque palavras na boca de Deus.
4. Não viva para o trabalho. Trabalhe seis dias e reserve um dia exclusivamente para descansar e observar as obras das mãos de Deus.
5. Respeite seu pai e sua mãe. Honre-os e respeite os mais velhos.
6. Não tire a vida de uma pessoa. Não julgue ninguém como sendo inferior a você.
7. Seja fiel ao seu cônjuge; não tenha um coração leviano e infiel.
8. Não se deixe dominar pelo desejo do que não possui.
9. Não minta, não diga meias verdades, não acrescente nada à verdade.
10. Não viva em função do que você não tem. Não tenha inveja do sucesso alheio.

Quando acabei de ler essa versão moderna da lei de Deus, fiquei pensando no quanto a lista é perfeita. Deus ama a cada um de nós e por isso nos deu mandamentos, para nos ajudar a permanecer no caminho certo e evitar longos sofrimentos. “A lei é perfeita e traz frescor à alma” (Salmos 19:7).

A lista é certeira. E se você quer ser feliz não tente pular nenhum desses itens, pois aquele que tropeça em um é como se tivesse tropeçado em todos os outros.

Enquanto escrevia este texto fui descobrir o que era “punch line”; mas isso vai ficar para os próximos textos, pois ainda tenho outras duas listas tão importantes quanto esta aí de cima. Meu desejo para hoje é que você guarde essas regras no seu coração e seja feliz por inteiro; ou nada disso vai fazer sentido pra você.


domingo, 30 de agosto de 2015

ESQUECENDO E SEGUINDO EM FRENTE



ESQUECENDO E SEGUINDO EM FRENTE
(Por Denize Vicente)

Estou aqui de volta, abrindo esta semana na companhia de Tao-Te-Ching, Alberto Caeiro, T. S. Eliot e Roland Barthes, citados por Rubem Alves, um dos meus escritores prediletos, em seu livro “Variações sobre o Prazer [Santo Agostinho, Nietzsche, Marx e Babette]” - Editora Planeta, 2011.

Alberto Caeiro diz:
“O essencial é saber ver –
Mas isso (tristes de nós que trazemos a alma vestida!),
Isso exige um estudo profundo,
Uma aprendizagem de desaprender...

Procuro despir-me do que aprendi,
Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram,
E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,
Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras,
Desembrulhar-me e ser eu...”

Barthes diz: “(...) periodicamente, devo renascer, fazer-me mais jovem do que sou(...)”.

Tao-Te-Ching diz: “Na busca do conhecimento a cada dia se soma algo. Na busca do Caminho da Vida a cada dia se diminui algo.”.

T. S. Eliot diz: “Num país de fugitivos, aquele que anda na direção contrária parece estar fugindo.”.

O que todos eles nos dizem, no essencial? Qual é a lição deste domingo?
Em poucas palavras eu lhe diria: aos quinze anos você sabe alguma coisa da vida; aos vinte, um pouco mais, mas já é hora de começar a renascer, livrar-se de conceitos e pré-conceitos adquiridos, desaprender certas coisas; aos trinta já aprendeu muito mais do que imaginava, pela experiência e pelo que lhe ensinaram, aprendeu, inclusive, a driblar suas emoções, e então... é tempo de esquecer muito do que foi aprendido. Se você está em busca de aperfeiçoamento, se quer alcançar o Caminho da Vida, seja lá qual for a sua idade, você precisa do exercício de renascer, periodicamente, frequentemente, sempre, mesmo que isso signifique andar em outra direção.

Capriche no desapego, esta semana. Livre-se de tudo o que desvia você do Caminho da Vida. Reaprenda conceitos. Experimente coisas novas. Explore a paisagem em volta do caminho. Leia mais. Escreva um pouco. Compartilhe. Pense junto. Aproxime-se das pessoas. Crie pontes. Desaprenda tudo o que aprendeu sobre construir muros. Esqueça que lhe ensinaram a ter medo de pessoas diferentes. Perceba as semelhanças. Saber ver é fundamental. Desaprenda toda e qualquer lição sobre o desamor. Faça amigos. Esqueça os rótulos.

Gostaria muito que lá pelo meio-dia de hoje você pudesse se olhar no espelho e dizer para si mesmo e para quem mais quiser ouvir: “Estou tentando. Estou começando. Espero conseguir...”.

E desejo, sinceramente, que você tente; que você comece, e que consiga.
Desejo a você uma boa semana. E uma boa vida, sempre renascendo, reaprendendo, esquecendo o que ficou para trás, e seguindo para o que está à frente (Filipenses 3:13-14).

____________________

Referências:

Roland Barthes, Aula, pp.46-47
Fernando Pessoa, Obra poética, pp. 217-226
Tao-Te-Ching, Poema XLVIII

sábado, 29 de agosto de 2015

VILÃO

VILÃO
(Por Jackson Valoni)

Não sei muito por que, mas sempre quis ser ator. Sempre brinquei aqui em casa que, se eu fosse ator, queria ser vilão. O mocinho não tem tanto destaque quanto o vilão e, ultimamente, as pessoas se pegam torcendo pelo vilão!

Alguns atores ficam tão marcados em um papel que, às vezes, são chamados pelo nome do personagem ao qual deram vida. Há ocasiões em que são tratados com hostilidade na rua, responsabilizados pelos atos de seus personagens!

O vilão nem sempre é feio. O vilão também fala bem, seduz, conquista. Em Provérbios 16:24 está escrito que as palavras agradáveis são como mel e, curiosamente, o mel é a comida dos deuses, na mitologia grega.

Palavras agradáveis, entretanto, podem esconder verdadeiras intenções e, assim como os deuses do Olimpo, trapaceiam e nos manipulam – a nós, meros mortais.

Às vezes "esbarramos" com alguns vilões que tentam nos atrair, mas se conseguirmos tirar a máscara que eles vestem, acabarão se perdendo sozinhos, pela própria armadilha. (Provérbios 26:24-27)

Que Deus nos ajude a sermos honestos e verdadeiros; assim poderemos atrair pessoas para o bem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...