terça-feira, 23 de agosto de 2016

A PIRA IMPROVÁVEL


A PIRA IMPROVÁVEL
Por Airton Sousa

“- É bem maior do que ganhar uma medalha. É a primeira vez que participo de uma abertura de Jogos.” - contou Vanderlei Cordeiro de Lima.


Até chegar a Vanderlei, a tocha passou pelas mãos de Guga, o dono do saibro e maior tenista da história do país, que, emocionado, passou para Hortência, a Rainha do basquete, que, celebrando muito, levou a chama até Vanderlei Cordeiro de Lima. Ele a recebeu, subiu as escadas e foi até a pira olímpica, no ponto alto da festa. Ele tocou a chama no caldeirão que subiu e a levou até a pira principal, que, então, se abriu para receber o fogo olímpico. Vanderlei garantiu que não sabia que seria o encarregado de acender a pira.

“- Foi uma surpresa muito grande. Eu não esperava. O meu grande momento nos Jogos, sem dúvida, era conduzir a tocha olímpica, como conduzi (em Brasília). Foi uma grande surpresa. Os deuses do Olimpo, mais uma vez, me presentearam. Tenho uma enorme gratidão!” – contou. (1)

Neste mês de agosto comecei esta série de textos sobre os Jogos Olímpicos mencionando as medalhas olímpicas, e no primeiro texto falei sobre Vanderlei Cordeiro e o comparei a Salomão. (Você pode ler o primeiro texto da série clicando AQUI). Qual não foi minha surpresa quando o vi recebendo a tocha e acendendo a pira!

Mesmo com aquela atrapalhada, mencionada no meu primeiro texto, Vanderlei não se tornou uma pessoa amarga, não deixou de sorrir. E naquela noite de abertura da Rio 2016 todos os presentes e os telespectadores puderam ver, emocionados, a História se reencontrando com Vanderlei.

Mas o que você não percebeu foi que Vanderlei Cordeiro de Lima saiu direto do meu texto para a abertura dos Jogos Olímpicos de 2016. O improvável acontece mais uma vez. Ali, naquele momento, eu pensei: “Pronto, meu texto de número 30/2016 está prontinho!”. O problema é que diante de tanta emoção acabei ficando sem palavras...

O que é só emoção também serve para reflexão. Quando um herói do povo afirma, alguns anos depois, que, finalmente, recebe sua medalha de ouro e tem seu dia de glória, a gente para pra pensar...

"Recebi minha medalha de ouro!", diz Vanderlei após cerimônia em encontro improvável.

Eu penso no improvável. Nos improváveis.

Sou membro do clube dos improváveis. Deus é especialista em improváveis. É por essas e outras que hoje venho aqui expressar mais uma vez todo meu assombro com a grandiosidade do amor de Deus “e sua inexplicável, impressionante, maravilhosa, incompreensível, inefável, incrível graça por aqueles que nasceram aqui. Entendo que me coloco numa posição vulnerável, mas prosseguirei.” (Graça Surpreendente – Philip W. Dunham, Ed. CPB, página 151). É inexplicável.

Mas, amigão, tudo isso por causa da cena improvável do Vanderlei Cordeiro de Lima?  Pode ser, mas veja o que descobri:

Nem sempre são os corredores mais velozes que ganham as corridas; nem sempre são os soldados mais valentes que ganham as batalhas. Notei ainda que as pessoas mais sábias nem sempre têm o que comer e que as mais inteligentes nem sempre ficam ricas. Notei também que as pessoas mais capazes nem sempre alcançam altas posições...” (Eclesiastes 9:11).

Eu gosto de parafrasear uma declaração do Homer Simpson: “Existem três jeitos de resolver as coisas: O jeito certo, o jeito errado e o meu jeito, que é igual ao errado, só que diferente.”.

Este é o mundo dos improváveis de que falei; e, por falar nisso, eu vou. Vou continuar meu caminho, louvando e amando a Deus. Obedecendo e servindo. Tudo de maneira imperfeita, do meu jeito, nas minhas limitações e fracassos, mas sempre debaixo da sua graça, desejando ser como Ele e fazendo o meu melhor a cada dia.

Pela graça, eu sou de Jesus. Ele é meu e sou candidato ao seu time pronto a receber a medalha de ouro, mesmo que demore muito tempo.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

ELE OROU

ELE OROU
Por Sérgio Mafra

No livro bíblico de Mateus, capítulo 26, versos 36-39, encontramos o seguinte: “Então Jesus foi com seus discípulos para um lugar chamado Getsêmani e lhes disse: Sentem aqui enquanto vou ali orar. Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes então: A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo. Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou: Meu Pai, se for possível, afasta de mim esse cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como Tu queres.”.


Esses versos contam um momento dramático da história de Jesus. É bem verdade que Ele nos deixou importantes conselhos com Suas palavras e exemplo de vida. Nos versos acima isso não poderia ser diferente. Apenas para contextualizar: esses momentos eram os instantes finais da vida de Jesus aqui na Terra. Logo depois disso Ele foi traído por Judas, julgado, injustamente condenado e crucificado. Mas o detalhe ao qual eu gostaria de me atentar é a atitude de Jesus frente a mais essa provação. Os versos nos dizem que Ele estava profundamente triste e angustiado, não era para menos, pois estavam sobre Ele todas as falhas da humanidade. Mas nesse momento, em que estava mais triste e sobrecarregado, Jesus busca o Pai por meio da oração. Que lição para nós, hoje! Cristo está nos mostrando que, em todos, absolutamente todos os momentos, podemos confiar no Pai, pois Ele não está indiferente à nossa dor. 

Outro aspecto interessante é a resignação de Jesus ao dizer: “Não seja como eu quero, mas como Tu queres.”. Jesus entendia que a vontade e os planos de Deus eram soberanos.

Você, assim como eu, provavelmente já enfrentou alguns bons momentos de lutas, tristezas e angústias. Enquanto vivermos aqui neste mundo eles vão continuar existindo, mas temos a opção de seguir os passos de Jesus e entregar nossa vida, os problemas, as tristezas e as dificuldades para Deus...

O início desta nova semana pode ser uma boa oportunidade para conversar com Ele por meio da oração, abrindo o coração a Deus como a um verdadeiro amigo!



domingo, 21 de agosto de 2016

CLIMA DE PAZ, ESPÍRITO OLÍMPICO E SENSAÇÃO DE CÉU



E você, que viveu no clima de alegria e confraternização mundial dos últimos dias, que sentiu o espírito olímpico e experimentou as emoções e sensações de paz, amizade, segurança e fraternidade, próprias das Olimpíadas, deve estar dizendo: eu queria viver na Rio 2016...


Pois é... Por uns dias este foi um lugar de muita felicidade! Embora não tenha sido perfeito, poder experimentar coisas com as quais sonhamos é algo espetacular!

E o que falta para que isso se perpetue? Falta Jesus. #simplesassim

Acredito de verdade que se eu procurar viver como o meu Jesus viveu, eu posso estar em paz, mesmo no meio de luta e de dor; eu posso começar a desfrutar de um pouquinho do céu.

“... E quando vejo mãos se unindo,
Multidões cantando um hino,
Vejo anjos celebrando,
É o céu que está chegando...”



O céu pode ser aqui, se eu tirar um pouco do meu tempo pra cantar uma canção de louvor ao Deus do Universo, reconhecendo a sua soberania sobre todos os reinos, nações e povos. O céu pode ser aqui, se eu separar tempo pra falar com esse Deus que é rei mas também é pai e se fez irmão; se eu souber perdoar o meu próximo; se eu amar. Porque o céu é Jesus e onde Ele estiver... o céu será ali.

Não existe céu sem Jesus e não existe paz sem Jesus.

“...Enquanto estou aqui começo a pensar
Que desse bom lugar já posso desfrutar.
E quando vejo mãos se unindo,
Multidões cantando um hino,
Vejo anjos celebrando,
É o céu que está chegando...”

Pra você curtir neste domingo e meditar sobre a paz e o clima de céu que queremos viver, mesmo quando a festa olímpica acabar no Brasil, um clipe bem lindo lembrando que o céu pode ser aqui! Depende de nós.

Letra e Música: Jader Santos
Clique AQUI


sábado, 20 de agosto de 2016

ELA ME INSPIRA: A NATUREZA.

 
ELA ME INSPIRA: A NATUREZA. 
Por Jackson Valoni

Fui à Paraty num dia desses. Passeei por lá. Comi esfirra, tropecei numa pedra, comi um picolé e ouvi um rapaz tocando "Como é Grande o Meu Amor por Você", num saxofone, em frente ao pessoal que comia na sorveteria "Pistache".

Na hora de ir embora, Pamela me chama e aponta para uma loja. Chegamos perto e vimos o anúncio: "Venha se que embriagar com os aromas..." e mais alguma outra coisa. Era uma loja de sabonetes artesanais com formato de frutas e seus respectivos aromas. Coisa de outro mundo. Peguei um sabonetezinho com formato de maracujá e, se eu fechasse os olhos, poderia até sentir o gosto do sumo.

Aquilo era arte, como a maioria das coisas em Paraty. Mas aqueles sabonetes criados de forma tão precisa por seu artesão me impressionaram não só pelo aroma, mas pelo cuidado de serem idênticos às frutas que serviram de inspiração para os seus odores.


A natureza inspira. A musa de Ipanema só ficou famosa por causa da praia. Vale mais a pena visitar o Cristo Redentor pelo visual panorâmico que o Corcovado proporciona do que pela estátua em si. Pessoas aplaudem o pôr do sol! "Além do arco-íris", canta o tema de “O Mágico de Oz”. E o Salmo 19, que realça as belezas da criação de Deus! Diz o salmista: Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras de suas mãos (Salmos 19:1).

Deus, ao criar o homem e a mulher, ordenou que eles "dominassem" a Terra, de modo a "cultivar" e "guardar" o que havia acabado de ser criado. Bem, o pecado entrou no mundo, Adão e Eva desobedeceram à vontade do Criador, e junto com a degradação do homem veio a degradação da natureza, por culpa da ação humana, insaciável.

A Constituição da República se preocupa com a preservação do meio ambiente, levando a todos o "dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações." (Art. 225, CRFB/1988).

Ao destruir a natureza, destruímos as digitais de Deus e afastamos ainda mais a imagem do Criador, já tão descaracterizada neste mundo que se apega mais às belezas naturais do que ao seu amável Artesão.

Que você enxergue as obras cuidadosamente traçadas pelo Altíssimo através da natureza, essencial à sadia qualidade de vida. Jesus nos trouxe o que o pecado nos tirou: a reconciliação com o Pai do Céu. (Isaías 59:2; II Coríntios 5:21)

"Nós somos curados pelo castigo que Ele sofreu, somos sarados pelos ferimentos que Ele recebeu." (Isaías 53:5)

Valorize o que Jesus ainda faz por você!


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

BALANÇO



BALANÇO
Por Denize Vicente

No dia 14 de agosto foi divulgado o primeiro balanço da Olimpíada do Rio, feito pelo Jornal “O Globo”, um dos mais antigos e tradicionais do país, digamos assim. Um balanço da primeira semana, relatando os altos e baixos da competição mais badalada do mundo do esporte.

No próximo domingo se encerra, oficialmente, a Rio 2016. E nesse mesmo dia, mais tarde, o mundo inteiro, eu e você, estaremos também fazendo uma análise dos Jogos Olímpicos e do seu impacto desde a fase de preparação, passando pelos momentos das grandes exibições em cada modalidade esportiva, até o que chamamos de “legado”, ou seja, aquilo que ficará de herança a partir do encerramento desta Olimpíada.

 
Nossa vida é também um grande evento. Para Deus, que nos criou pensando em cada detalhe, cuidando para que tudo saísse perfeito, somos o maior evento da história do Universo; cada um de nós. Desde a fase preparatória, quando pôs no céu o sol e a lua, quando deu brilho às estrelas... quando colocou aqui o mar, as árvores e as aves, e os animais de cada espécie num jardim fantástico... e mesmo agora, durante nossa “exibição” para os mundos, Deus pretendeu proporcionar um grande espetáculo, e sonhou com um legado sensacional após o encerramento da minha e da sua vida aqui na Terra.

Como todo grande evento, nossa vida exige balanços sérios e periódicos. Não dá pra pensar em fazer balanço somente ao final, porque isso inviabilizaria qualquer possibilidade de consertos e ajustes; é preciso um olhar profundo, isento e frequente.

Neste domingo, ao comentar com seus amigos sobre a Rio 2016, ao fazer seu balanço pessoal dessa Olimpíada, lembre-se de que você também está sob o olhar do mundo e que a sua vida é o maior evento da história do Universo, além de ser um show à parte para seus amigos, sua família, e para aqueles que, mesmo sem conhecer você, sofrem o impacto das suas ações e reações. Faça, periodicamente, um balanço da sua própria vida. Em seguida, trabalhe depressa para corrigir os erros e aperfeiçoar os acertos, comemorando, inclusive. 

Porque apesar de não ser possível viver sem passar por altos e baixos, com certa dedicação a gente consegue ajustar as coisas e deixar um legado positivo para a alegria do Criador e de todos os expectadores.

Pense bem.


“Pois Tu formaste o meu interior. Tu me teceste no seio de minha mãe. Graças Te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as Tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem...”