sábado, 1 de outubro de 2016

A VOZ DE DEUS

A VOZ DE DEUS
Por Jackson Valoni

Era um sábado pela manhã... Iria para a igreja, como é o meu costume aos sábados. À tarde eu iria pregar pela primeira vez, depois de uns quinze anos. Havia me preparado havia um tempão, estudei bastante o tema sobre o qual eu iria falar e elaborei o sermão com muito carinho. Estava feliz com aquela oportunidade. A propósito, você pode ler esse sermão aqui no blog (“Conosco” - Parte 1 e Parte 2).

Então recebi a notícia de que minha sogra estava muito doente e nem conseguia se levantar da cama. Adoro minha sogra, ela gosta dos cachinhos dos meus cabelos, faz comida gostosa e é supersimpática. No momento da notícia, minha esposa já foi se arrumando para vê-la e eu, confesso, me contive diante da ideia de acompanhá-la, pensando no compromisso de sábado à tarde. Moro em Angra; minha sogra, no Rio; cerca de 4 horas de viagem de uma cidade a outra. Pensei de forma egoísta, cheguei a me despedir da minha esposa, mas, graças a um surto de bom senso, fomos juntos ver sua mãe.

Minha pregação poderia ter alto conhecimento teológico; aplicações variadas sobre várias parábolas de Jesus; poderia contar a história de Israel desde a peregrinação pelo deserto, passando pelo rei Saul e chegando até o cativeiro na Babilônia - e falar sobre o amor de Deus em todo o enredo; poderia explicar a importância de cada um dos dez mandamentos; e dizer sobre o amor, que é o maior dom do Universo; mas, se eu não tivesse acompanhado minha esposa quando ela estava angustiada pela saúde de sua mãe, meu sermão não valeria de nada.


Houve um homem chamado Jonas que sentiu mais compaixão por uma planta que lhe fazia sombra enquanto descansava do que pelo povo de uma cidade que Deus o enviou para anunciar salvação e arrependimento. Jonas 4:6-11 (Leia, é legal.).

Às vezes, estamos tão ambiciosos com projetos pessoais que não conseguimos ouvir o que Deus está tentando dizer aos nossos ouvidos. Não conseguimos discernir Sua voz porque nos acostumamos a viver no lixo, na sujeira que nos persegue a cada clique, a cada comentário agressivo, a cada olhar presunçoso.


Jesus se misturava com as pessoas e via nelas o desejo pulsante de se sentirem notadas, ouvidas, respeitadas, ao menos. Jesus sabe o que cada coração grita e o motivo de cada lágrima. Cada pessoa diferente que passa por você, de forma inusitada ou não, pode ter o privilégio de conhecer a luz que vem do Céu.

Enquanto o "eu" for mais importante do que o Céu, não valerá a pena.

"Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus..." Filipenses 2:5



sexta-feira, 30 de setembro de 2016

ZIANNA OLIPHANT

ZIANNA OLIPHANT
Por Denize Vicente

Olá!
O que você sente, o que acontece com o seu coração, com seus olhos e com a sua mente, com seus braços e com suas pernas quando você ouve uma criança de apenas nove anos dizer, chorando: "Tudo o que queremos são direitos iguais. Queremos ser tratados da mesma maneira que outras pessoas."?


Zianna fez um discurso de improviso, numa reunião realizada às pressas para conter os ânimos de pessoas que estavam inconformadas com a morte de mais um homem negro, Keith Lamont Scott, assassinado por um policial, na semana passada, na cidade de Charlotte, no Estado norte-americano da Carolina do Norte.

"Eu estava nervosa e decidi pedir a palavra e dizer às pessoas o que sentia", disse a menina à rede de televisão NBC sobre o seu discurso na assembleia. "Somos pessoas negras e não deveríamos ter que sentir esse tipo de coisa", foram as palavras daquela garotinha.



Para nós, Criacionistas, os homens são todos iguais, feitos à semelhança de Deus (Gênesis 1:26-27).

Sem que se discuta, aqui, a raiz do pensamento evolucionista, pensadores contemporâneos afirmam que, hoje, a Evolução não apoia o racismo.

A Constituição da República Federativa do Brasil afirma em seu art. 5º que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza...”.

“Liberté, Egalité, Fraternité” (Liberdade, igualdade, fraternidade) foi o lema da Revolução Francesa.

Mas estamos em 2016, século XXI, e crianças negras ainda precisam subir num púlpito e discursar sobre a dor de se ver ferido com a morte de outro ser humano...


O que você sente quando vê a dor dessa criança?

O que você pode fazer para mudar essa realidade cruel?

Não basta se emocionar com as lágrimas sofridas de uma menina negra que deveria estar brincando em vez de estar ali... Não basta dizer-se criacionista, evolucionista, constitucionalista, revolucionista. É preciso fazer alguma coisa.

Pense nisso. Comece a mudar este mundo. Comece a mudar seus conceitos. Você sabe do que eu estou falando. A gente só finge que não.

Deus não vê diferenças entre os homens porque pertencem a uma ou outra nação, porque têm a pele desta ou daquela cor, porque são de uma ou de outra religião... 


Ou será que Deus é somente Deus dos judeus? Será que não é também Deus dos não judeus? Claro que é! Deus é um só e aceitará os judeus na base da sua fé e também aceitará os não judeus por meio da fé que eles têm. (Romanos 3:29-30)


Quando um estrangeiro viver na terra de vocês, não o maltratem. O estrangeiro residente que viver com vocês deverá ser tratado como o natural da terra. Amem-no como a si mesmos, pois vocês foram estrangeiros no Egito. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês. (Levítico 19:33-34)

Como resultado disso, já não existem mais judeus e não judeus, circuncidados e não circuncidados, não civilizados, selvagens, escravos ou pessoas livres, mas Cristo é tudo e está em todos. (Colossenses 3:11)
O post de hoje é de lágrimas. Eu preciso fazer alguma coisa. Você também.

Pense bem.


_________________________

Referência:

O emocionado discurso da menina de 9 anos que chamou a atenção do mundo para a tensão racial nos EUA – Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/internacional-37513269http://www.bbc.com/portuguese/internacional-37513269 - acessado em 29.09.2016.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

OUTRO FUTURO

OUTRO FUTURO
Nosso texto de hoje é para você, e você pode compartilhar este post com quem você quiser. Mas este texto é dedicado, com uma dose extra de carinho, à Carina - a responsável pela nossa coluna das quintas-feiras: “Dicas de Cah”.


Carina foi ali realizar um sonho e já volta...

Nosso reflexão de hoje é para que continuemos acreditando nas possibilidades. Para que saibamos onde colocar nossos pés e quando vestir nossas asas. Para nos levar a pensar na esperança, fazer planos, e encarar as dificuldades sabendo que os problemas exigem sabedoria, as adversidades produzem perseverança e experiência, e que Deus é infinitamente poderoso, capaz de nos dar muito mais do que aquilo que pedimos e pensamos. Para realizar sonhos é preciso muito mais do que sonhar; é preciso esforço, força, coragem, superação e até mesmo uma memória seletiva, pra se esquecer das coisas que devem ser esquecidas durante caminhada em busca do alvo. Acima de tudo, é preciso fé. Para não duvidar de que há Alguém que tem sonhado pra nós os sonhos mais lindos, de paz, de esperança, e de um novo amanhã. Outro futuro.


Para realizar um sonho não basta sonhar. Mas é aí que tudo começa. As lições que vamos deixar nas próximas linhas talvez não sejam, exatamente, um mapa do caminho que você deve seguir em busca da realização dos seus sonhos, mas talvez você possa arrumá-las como num joguinho de quebra-cabeça, colocando cada peça no lugar devido da sua mente, enquanto caminha na direção do futuro. Foram todas tiradas da Bíblia, um livro espetacular e sagrado, que tem a resposta para cada uma das suas indagações e os maiores segredos de sucesso revelados em letras grandes e claras:

O que ninguém nunca viu nem ouviu, e o que jamais alguém pensou que podia acontecer, foi isso o que Deus preparou para aqueles que o amam. (I Coríntios 2.9)

Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória... (Efésios 3.20 e 21)

Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens. (Colossenses 3.23)

O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria. (Eclesiastes 9.10)

Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus. (Filipenses 3.13 e 14)

Tudo posso naquele que me fortalece. (Filipenses 4.13)

E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. E a esperança não nos decepciona... (Romanos 5.3-5)

Porque deveras haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança. (Provérbios: 23.18)

Sede fortes e corajosos, não temais, nem vos atemorizeis diante deles, porque o Senhor, vosso Deus, é quem vai convosco; não vos deixará, nem vos desamparará. (Deuteronômio 31: 6)

Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos. (Isaías 55.8 e 9)

‘Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês’, diz o Senhor, ‘planos de fazê-los prosperar e não de causar dano, planos de dar a vocês esperança e um futuro’. (Jeremias 29.11)

Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas. (Lucas 1.37)


Este post é para dizer a todos vocês que vale a pena sonhar e confiar em Deus, mas é também pra dizer à Carina que o seu sonho apenas começou. Pise fundo no acelerador, jovem. Não deixe de conferir o freio e ter às mãos as peças do quebra-cabeça para ir montando ao longo da estrada... e vá com tudo!

“(...) Se Deus do Céu não se afastou
O sonho apenas começou
Nós vamos ver que um vencedor
antes de tudo é sonhador.” *



Carina foi ali realizar um sonho e já volta, mas vai continuar com a gente. Deixem apenas que ela desfaça as malas com calma e que as coisas se ajeitem, na terra dos ‘cowboys”.

_____________________________

Referência:

* Trecho de “Outro Futuro”. Letra e música: Evaldo Vicente.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

VENTRE LIVRE

VENTRE LIVRE
Por João Octávio Barbosa

Como aprendemos nas aulas de História, na escola, a escravidão brasileira foi acabando aos poucos. E contra a vontade da maioria aristocrata, diga-se de passagem. Começa com a pressão estrangeira da Inglaterra, que proibiu o tráfico internacional de escravos africanos - sem nenhum apelo humanitário; apenas para que os países do mundo tivessem trabalhadores pagos em vez de não pagos, pois assim esses teriam dinheiro para comprar o que a Inglaterra queria vender.

Outro passo importante para a liberdade dos negros foi a Lei do Ventre Livre, proclamada também num 28 de setembro, no ano de 1871. Com isso, os filhos de escravas que nascessem dali em diante seriam livres. Essa história me remeteu, imediatamente, a uma personagem interessante dos mais remotos tempos Bíblicos.


Havia uma escrava egípcia chamada Agar. Sua ama era Sara, esposa de Abraão. Esse casal sofria o drama da infertilidade. E pouca esperança havia para que isso mudasse, porque agora já estavam idosos. Essa mulher, Agar, ainda jovem, de repente passa a ser pivô de um triângulo complexo.


Em Gênesis 16:1-15 lemos o momento em que Sara toma a decisão de fazer de Agar a dona de uma barriga de aluguel para ela e seu marido. Como escrava, o que Agar poderia fazer além de aceitar? Submetida a ter relações sexuais com um homem de quase 100 anos, ela carregou no ventre um filho livre sendo uma simples e mera serva.

  
É interessante pensar que, nessa época, Deus já havia prometido filhos a Abraão, mas não a Sara. À mulher dele nunca foi feita nenhuma promessa, e talvez tenha sido isso que motivou Sara a dar esse jeitinho com Agar. Em todo caso, logo vemos os problemas desse plano.

Foi a própria Sara quem começou a reclamar quando se sentiu desprezada por Agar após ela engravidar. Agora havia uma intriga, ali. Uma guerra de egos. Sara culpa Abraão pelo que está acontecendo. Ele prefere não se envolver diretamente, e com isso se omite diante do fato de que agora Sara maltrata cruelmente sua serva, que apenas fizera, contra a sua própria vontade, o que sua dona mandara.


Agar, então, foge. Mas ela não estava sozinha. O Deus de amor, que é Todo Poderoso, não é só Deus de livres ou de homens machistas, mas também é Deus de escravos e de mulheres perseguidas. É Deus de todos, que vê a cada um, e cuida de quem precisa. Um anjo visita Agar em sua angústia, e a conforta, e a convence a voltar, e prometendo, inclusive, a bênção de uma longa prole. Deus a viu também; e note que, mesmo escrava, mesmo mulher, mesmo socialmente inferiorizada, ela recebeu a mesma promessa e tratamento que Deus dera a Abraão.

Logo nasce Ismael, seu filho. Por algum tempo ele foi a luz da casa. Não pelo status de Agar, mas de Abraão, o patrão. Porém, alguns anos depois, nasce o filho de Abraão com Sara. E agora Agar era mãe de um filho “meio bastardo”, numa casa que já tinha um filho legítimo. Em Gênesis 21:1-21 vemos que Sara usa a primeira desculpa que tem para se irritar com Ismael, e exige que Abraão o expulse de casa, junto com sua mãe. Queria preservar o território para si e seu filho Isaque.


Abraão cede. Agar, expulsa e sem rumo, vaga pelo deserto. Logo que acaba seu único bem, a água, e já sem esperança de sobrevivência, larga o filho para não vê-lo morrer e se refugia distante para sofrer sozinha. Mas então o Anjo do conforto volta a aparecer e dar esperanças.


Deus abre seus olhos. Existe um poço. Existe vida. E essa mãe solteira, junto de seu filho, então com 12 anos, dá um jeito. Vai levando. Ela até mesmo arranja uma esposa para ele. Uma egípcia, como também ela era. E a promessa para Ismael se cumpre. Em Gênesis 25 vemos que Ismael foi pai de 12 príncipes. Não coincidentemente, seu meio irmão, Isaque, foi avô de 12 rapazes que mais tarde seriam patriarcas das 12 tribos de Israel. Porém Ismael nunca mais voltou a ver seu irmão e seu pai, e nunca viu nenhum sobrinho.

Deus não abandona ninguém. Em famílias destruídas, em situações que parecem sem saída, em relações sem amor, Deus tem um plano para a vida de cada um. Já se perguntou qual é o plano dele para você hoje?

Não peço que concordem, espero que reflitam!